2016/12/21

Escreve-Me Um Poema!


Não precisa ser um Poema de Amor, 
Nem um Poema de Ódio! 
Escreve-me um Poema Perdido, 
Com palavras que se cantem ao som do Tetracórdio! 

Escreve-me um Poema de Tudo, 
Escreve-me um Poema de Nada! 
Escreve-me palavras sentidas, queridas, 
Mas não deixes a Palavra calada! 

Escreve-me um Poema de Sonho, 
Escreve-me um Poema Qualquer! 
Escreve-me palavras perdidas, 
Que ao encontrá-las me façam sentir Mulher! 

Escreve-me o que sentes, 
Palavras guardadas num olhar! 
Palavras que se enrosquem, 
E que quando as decifrar me façam voar! 

Escreve-me um Poema Desfeito, 
Escreve-me um Poema em Enigma! 
Quero adivinhar a palavra, 
Que Tu me escreveste escondida! 

Escreve… 
Se quiseres… 
O que quiseres… 
Quando quiseres… 

Mas lembra-te… 
Que guardarei… 
O que Me disseres…

Matin Pour Elle - Pierre Farel

2016/11/16

A paixão não está(va) nos meus planos

Mas…
Os teu olhar gaiato…
O teu sorriso pérvio…
A tua voz suave e rouca…
O teu “olá” tímido e encabulado…

O teu "cheiro" inebriante...
Está a deixar-me baralhada!
Logo eu que sou tão pouco crente nestas matérias…
Ó diabo de rapaz!
Pois… a paixão não está, nunca esteve e nunca estará (hum… será que tenho de corrigir?) nos meus planos!


2016/11/03

(7) Dizem Que...


Quanto mais alto se sobe maior é a queda!

Hum...
Acho que há subidas que são meritórias por isso não correm o risco de queda.

Outras há que... bem...

Que quando estiverem em queda eu lá estarei!
Não... não é para amparar a queda... é mesmo para dar aquele empurrãozinho final... 
 

2016/10/12

No teu toque me perco!


Nas tuas mãos me encontro…
No teu olhar me refugio…
No teu corpo me encanto…
No teu cheiro me inebrio…
Na ilusão da certeza procuro o teu encanto…
Na busca de ti perco-me em mim…
Na convicção do deleite quebro o meu desejo…
No acordar do sonho o delírio chega ao fim!


2016/10/07

Numa Palavra Diria (Associal)!


é como me sinto por estes dias...

2016/09/19

É fascinam-te como me…



Fascinam as pessoas!

A observação dos seus atos preenche-me os dias…

Curiosamente as desprovidas de neurónios ativos são as que ultimamente me fazem sorrir com as suas atitudes.

Ora vejamos, não sendo eu um suprassumo dos neuronais a falta deles em certas pessoas fascina-me!
A forma como elas agem em determinadas situações tem, obrigatoriamente, de ser fruto de uma total falta de neuronais…
Vejamos o caso em apreço que sendo de uma situação particular bem que se poderia adaptar a situações mais coletivas.
Ora então… a forma bajuladora como tratam umas pessoas em detrimento de outras num certo ciclo da vida é para essas pessoas perfeitamente aceitável que num outro ciclo da mesma vida seja ao contrário.
Não percebem elas que as pessoas, as antes desprezadas, estando nos dois ciclos dessa mesma vida, e não sendo de todo desprovidas de neurónios, não venham a aceitar essa adulação que outrora foi desdém?
Creram essas pessoas, as desprovidas de neurónios, que o método para serem notadas na vida é sendo aduladoras, bajuladoras, engraxadoras, manteigueiras e mais que não me apetece escrevinhar… não acreditam elas na força do seu trabalho?
Hum… não sei… quiçá fosse interessante explicar a essas pessoas, as desprovidas de neurónios (talvez com desenhos), que os ciclos são isso mesmo, ciclos, hoje és tu amanhã serei eu…
Se bem cá há “tus” que não se repetirão…

2016/09/05

Num Reino Não Muito Distante...


Uma Princesa triste
A muito custo reinava
Até ao dia em que
Do reinado foi afastada...
Se pensam que a Princesa ficou triste
Desenganem-se meus senhores
Ela com o reinado não se identificava
Por ter em si outros Amores...
Agora que a Princesa está feliz
Um convite lhe vieram fazer
Querem que a Princesa volte
A reinadora ser!
Dilema, dilema...
Que irá a Princesa fazer?

2016/06/27

Praha (Praga)!


Era uma vez um grupo de seis meninas
Que juntas resolveram viajar
Escolheram o destino
E desta vez a Praga foram parar

Às voltinhas pelas ruas de Praga
Fartaram-se de caminhar
Tantas voltas deram que tontas
Nem o Menino Jesus de Praga foram visitar

Foram até Karlovy Vary
Para as belas vistas apreciar
O dia foi tão divertido
Que duas delas nas ruas estiveram a dançar

De barco pelo Moldava
Estiveram Praga a apreciar
Beberam apenas um suminho
Porque nesse dia iam regressar

Trouxeram de lá lembranças
Na memória e para as coroas gastar
A Green Eyes até trouxe
Um príncipe checo para namoriscar

A cidade é bonita
Mas não pensam lá regressar
Até porque gostam nestas viagens
De localidade todos os anos mudar

2016/05/15

Era Uma Vez...

Uma gata de olhos verdes!
Essa gata era muito ciosa de seus amigos, logo a quem com eles se metia ela suas unhas mostrava...
Um dia a gata foi visitar um gato amigo e quando lá chegou seus olhos os dele encontraram. Que triste dor e incerteza neles ela via...
O gato bem lhe miava que estava bem e nada se passava, mas ela a sua dor percebia. Como lhe custava vê-lo assim, que dor que ela sentia... Foi a partir desse dia que a gata decidiu que a quem seus amigos feria as suas unhas a gata cravaria!
 

2016/04/05

E Se...

... já não me apetecer aqui estar?
... a tua ausência me faz não querer ficar?
... as saudades de nós me afastam daqui?
... a tua presença me deixa cansada de aqui estar?
... o estares cá sem estares por cá me deixa sem vontade de aqui continuar?  

E se a procura do meu querer e a busca da tua ausência eu poder quebrar forem os impulsos que me façam ficar?

Como eu gostaria de decidir...
Como eu queria querer aqui continuar!
 

2016/03/03

O que fizeram aos meus sonhos?

São raras as vezes em que me destroem os sonhos, mas desta vez arrasaram-mos!
Se eu me deixo abater por isso?
Nunca!
Tudo o que eu faço é...
Mudar de sonhos...
 

2016/02/22

Há Algo de Estranho em Mim!

De acordo com todas as teorias regras e afins eu deveria estar triste... deveria sentir uma qualquer espécie de dor!
Uma sensação de vazio!
Um sentimento de perda!
Contudo, tudo o que Eu sinto é um friozinho na barriga... uma sensação de que borboletas dançam dentro de mim!
O sentimento que de mim se apodera é a excitação de algo novo!
Como eu gosto de renovar e renovar-me!
Desejem-me sorte!

2016/01/28

Está Quase Meu Amor...

Já falta muito pouco para o nosso (re)encontro!
Mais uma semana e poderemos encontrar-nos naquela rua de Lisboa, na nossa rua!
Iremos matar as saudades que sempre sentimos sem nunca as verbalizar...
Finalmente cumprirei a promessa que nunca te fiz, encontrar-te em Lisboa e deixar que me Ames!
Sabes desta vez vou mesmo ter contigo, desta vez vou e não regresso a casa. Naquela nossa rua de Lisboa farei a minha casa e deixarei que entres nela...
Tudo o que me prendia aqui partiu-se...
E neste partir a lágrima que deveria cair transformou-se em sorriso de esperança de te (re)encontrar naquela rua de Lisboa onde um dia os nossos olhares se cruzaram e em silêncio uma promessa celebraram... a de um dia se amarem!

2016/01/19

O Fascínio Que Tenho Pelas Pessoas!

Não consigo deixar de me surpreender com certas atitudes e tenho para mim que até mesmo elas, essas pessoas que têm as certas atitudes, se surpreendem a elas próprias...
Nem sempre as certas atitudes que me surpreendem são negativas, hoje por exemplo foram super positivas...
Este fascínio que tenho pelo Ser humano e seus comportamentos cada vez é mais intenso e absorvente.
Ai se elas, as pessoas que têm as certas atitudes, soubessem o quanto me fascinam... ainda me deixariam de fascinar...  

2016/01/02

Comecei Um Novo Calendário


De modo inesperado...
Não esperando o que esperava...
Acontecendo o que nem sonhava...
Mas em segredo desejando o que inesperadamente alcançava...
E agora?
Agora continuo as folhas do calendário mudando
Quem sabe o inesperado não me traz nada do que eu almejava
Mas em segredo desejava...