2015/11/20

(17) Contradições... ou Talvez Não!


Não gosto de conduzir!
Contudo em dias em que me sinto cansada, aborrecida, esgotada mentalmente, farta de tudo, frustrada, em suma em desespero, não consigo parar de o fazer!
É para mim uma forma de ser Eu sem entrar em mim...
De me libertar sem sair de mim...
A velocidade exagerada, as travagens despropositadas, as curvas e contra curvas  feitas de forma excessivamente fechada, o agir como uma perfeita idiota do volante na solidão das estradas... tudo isto e um pouco mais que ninguém pode ou deve saber, deixa que eu perca a razão sem perder-me de mim...
Antes escolhia aquela estrada da serra onde ninguém queria andar pela sua desertificação... hoje escolho aquela estrada que ninguém percorre por não unir ponto nenhum, aquela em que apenas eu e o carro nos unimos na plenitude das nossas solidões tão desejadas...