2015/04/20

Na Vida Tal Como no Trânsito!


Uma das coisas de que me Orgulho é do meu ponto de embraiagem...
Não é bom…
É Muito bom!

2015/04/15

Porque hoje É Sentido ainda que Não faça Sentido...

Porque choras?
 (clicar)
(a "menina" hoje, foram vocês... os meus amigos)

O Pássaro E O Raio De Sol!!



Era uma vez um pássaro que vivia numa torre!
Vivia numa torre porque tinha medo dos Raios de Sol!
Há muito anos atrás, o pássaro tinha sido queimado, nas suas belas asas, por um Raio de Sol!
O pássaro, nessa altura, era muito ingénuo e deixou-se encantar pelo Raio de Sol. Este sabendo, porque as flores lhe tinham contado, que o pássaro era muito fácil de encantar, resolveu brincar com ele.
Encantou-o, seduziu-o, deslumbrou-o, cativando-o para si!
O pássaro, acreditando no raio de Sol, voou, com todo o seu resplandecer, de encontro ao Raio de Sol, mas quando chegou pertinho deste, o Raio de Sol, de sorriso matreiro queimou-lhe as asas!
Queimou-o de tal forma que o pássaro caiu ferido por terra e esteve muito tempo sem poder voltar a voar!
A partir desse dia o pássaro resolveu que nunca mais iria acreditar em Raios de Sol, nunca mais se deixaria seduzir ou encantar, mais nenhum Raio de Sol o iria fazer sofrer daquela forma!
Resolveu, assim, ir morar naquela torre e, para que não existisse forma dos Raios de Sol lá irem, tapou todas as janelas com traves de madeira, nem uma réstia, nesga, um pedacinho que fosse, de Raio de Sol por lá passava.
O pássaro vivia feliz naquela torre, recebia a visita dos amigos e passava o dia a chilrear e a ser feliz!
Um dia o pássaro sentiu um calorzinho e, a medo, olhou para a janela da torre.
Oh não!!!
Havia um pequenino furo na madeira! Por esse furo entrava um pequenino, mas muito caloroso Raio de Sol. O pássaro sentiu-se tão quentinho que se deixou ficar, sabia que devia ir lá tapar aquela fendazinha, mas sentia-se tão bem que não lhe apeteceu…
Aquele Raio de Sol era tão acolhedor!
Passaram os dias e o Raio de Sol cada vez entrava mais na torre do pássaro, este encantado com este Raio de Sol, deixava-o entrar, tendo até o cuidado de, de vez em quando, ir lá alargar um pouquinho aquela fenda na madeira.
Erro crasso!!!!!!!!!
Os Raios de Sol são todos iguais, uns mais do que outros é certo, mas todos de igual forma apenas queriam era queimar as asas do pássaro!
E foi isso que aconteceu. O Raio de Sol queimou as asas do pássaro!
Doeu de novo!
O pássaro voltou a sofrer, mas desta vez não se entregou à tristeza, resolveu sim reconstruir a torre, os muros, tendo o cuidado de não deixar janelas nas vedações que o iriam, dali para a frente, proteger e guardar dos Raios de Sol!
Quando acabou estava exausto, triste, mas ao mesmo tempo sentia que a tristeza o iria abandonar um dia…
De uma coisa o pássaro não tinha a certeza – deixar de confiar nos Raios de Sol – mas iria tentar estar mais atento e não se deixar iludir!!

2015/04/08

AMA-ME!


Rasga-me a pele...
Estilhaça-me os sentimentos...
Rouba-me o Ser...
Destrói-me os lamentos!
Ama-me com o corpo...
Esquece a sensação...
Satisfaz-me os desejos...
Sem qualquer emoção!
Fica comigo...
Depois partes sozinho...
Dá-me um momento...
Interrompe o teu caminho!
Abafa-me a vontade...
Ama-me com paixão...
Ainda que seja apenas...
O quebrar da ilusão!
Ama-me...
Ama-me porque te exigi...
Ama-me com urgência...
Amanhã posso não estar aqui!
Ama-me agora...
Cala-me a premência que senti...
Amanhã posso morrer...
Não o lamento por mim, mas por ti!

 
Fait Divers With Nonsense 
by Green Eyes         

Deep Emotion - Talanbeck Chekirov