2014/11/14

Lágrimas!


Deixo-as escorrer pelo meu rosto na esperança vã que as enxugues!
Deixo-as escorrer pelo meu rosto na vã esperança que me lavem a alma!
Deixo-as escorrer pelo meu rosto sem esperança que parem!
Deixo-as livres porque não as contenho!

Liberto-as porque me apetece deixá-las controlarem-me!
Deixo-as escorregar até aos meus lábios!

Sugo-as lentamente como que querendo voltar a absorver o que perdi!
Não demonstram tristeza!
Não provam alegria!
São lágrimas apenas!
Nada dizem!
Nada valem!
Deixo-as cair!
Apenas e só porque de vez em quando


Me Apetece deixá-las fluir...