2014/12/31

Neste Final de Ano Só Sei Que...



Estou Apaixonada!
Falta-Me é perceber pelo quê ou por quem...


2014/12/19

Na Vida Tal Como no Trânsito!


Não gosto que me cobrem sentimentos...
Sinto-me sempre como naqueles dias em que, em plena VCI, fico entalada entre quatro pesados!
À frente um camião com toros de madeira, lado esquerdo um camião cisterna de gás, lado direito camião com botijas de gás e atrás... bem... atrás nem sei, nem quero saber, o que leva o camião...
Só me apetece voar dali para fora!

2014/12/09

London!

Era Uma vez um grupo de colegas
Que rapidamente amigas se tornaram
Andavam sempre juntas e
Umas às outras se aturavam...

Um dia cinco delas pensaram
Uma viagem juntas fazer
Maturaram a ideia
E decidiram que destino iria ser...

Desta vez escolheram Londres
Para começar a odisseia
Se tudo corresse bem
Muitas mais viagens tinham na ideia…

Londres é bonita
Mais belas elas são
Foram tomar chá com a rainha
Só que ela não saiu do colchão...

Comeram "fish and chips"
Caminharam até mais não
Andaram de barco
E cansadas arrastaram os pés pelo chão...

Riram e divertiram-se
Umas com as outras
E no final só pensavam
Que as férias em conjunto foram poucas…

Para o ano há mais
Poderá o grupo crescer
Até porque há mais amigas
Que serão bem vindas com prazer!








2014/12/05

(14) Contradições... ou Talvez Não!




2014/11/14

Lágrimas!


Deixo-as escorrer pelo meu rosto na esperança vã que as enxugues!
Deixo-as escorrer pelo meu rosto na vã esperança que me lavem a alma!
Deixo-as escorrer pelo meu rosto sem esperança que parem!
Deixo-as livres porque não as contenho!

Liberto-as porque me apetece deixá-las controlarem-me!
Deixo-as escorregar até aos meus lábios!

Sugo-as lentamente como que querendo voltar a absorver o que perdi!
Não demonstram tristeza!
Não provam alegria!
São lágrimas apenas!
Nada dizem!
Nada valem!
Deixo-as cair!
Apenas e só porque de vez em quando


Me Apetece deixá-las fluir...

2014/10/29

Como Seria o Nosso Beijo?

Por vezes imagino como seria o nosso beijo...
Seria um beijo ao de leve, daqueles em que somente os lábios se tocam?
Seria um beijo daqueles em que os lábios se roçam?
Seria um beijo daqueles em que as línguas se passeiam pelos lábios uns do outro, sem nunca se tocarem entre si?
Seria um beijo em que as bocas se abrem, os lábios se enroscam e as línguas se atrevem?
Seria um beijo em que tudo se mistura, as salivas se envolvem, as gargantas se engasgam de prazer?
Não sei como seria... e tu dizes

- experimentemos... diz que sim... 
e eu...
Digo que não... que o que me aquece a alma e o corpo é o COMO SERIA!

2014/10/15

Mais... Que Eu Gosto!

Foi num dia destes ou num destes dias...
Green Eyes saiu do trabalho dirigindo-se para o parque de estacionamento. Passou por um grupo, três ou quatro, de senhores que se encontravam à entrada do parque, tentando não cair dos saltos dado o sussurrar dos mesmos... e quando vai a fazer a curva da entrada um dos carros ali estacionado resolveu acionar o alarme...
Um dos senhores diz em altos berros
- Eh lá... eu não disse? É tão boa que até os carros disparam os alarmes...

2014/10/06

Post-it (Impassibilidade)!



2014/10/01

A Felicidade!


Partilhei a Felicidade
Partilhei-a devagarinho
Sussurrei-te ao ouvido
Minha Felicidade com carinho
A partilha é sempre feita
Com sorriso e aos bocadinhos
Deixo-te saber a Felicidade
Com o coração aos buraquinhos
A Felicidade que sinto
Foi partilhada sem medo
Apenas te peço
Guarda-a contigo em segredo…


2014/09/16

O Sorriso!

Era uma vez um Sorriso
Um Sorriso que brilhava
Era uma vez um Sorriso
Um Sorriso que incomodava...

Era uma vez um Sorriso
Que uns olhos verdes mostrava
Era um Sorriso brilhante
Que a sua dona orgulhosa ostentava...

Era uma vez um Sorriso
Um Sorriso que foi escondido
Era uma vez um Sorriso
Que por causa da maldade foi perdido!!

Green Eyes

2014/09/02

Porque Hoje Poderia Ser Eu...


O seu corpo cansado,
Despido de tudo,
Vazio de sentido,
Preenchido dum grito mudo!
Encosta-o à parede,
Deixando-se ficar…
Desfalece lentamente,
Deixando-o deslizar!
Indiferente a quem passa,
Na indiferença de quem vai a passar…
Na esquina da Vida
Sozinha deixa-se quedar!
Não lhe importam os olhares,
Nem tão pouco a sua falta!
Não lhe interessa a indiferença,
Nem tão pouco a revolta!
Tudo o que quer é descobrir-se!
Viver sem se sentir perdida,
Destruir os medos, os receios, as angústias...
Encontrar-se na esquina da Vida!



Not Now - Talantbek Chekirov

Green Eyes - 2010

2014/08/22

(12) Faits Divers With Nonsense!


Um dia apanhei-o a olhar fixamente, com olhar embevecido, para a minha fotografia do email...
Corei e disfarcei...
Ele também...

Hoje lembrei-me porque um outro alguém repetiu a façanha...

2014/08/06

Cansando os pés... Alimentando a alma!

 

2014/07/23

(11) Faits Divers With Nonsense!


Gosto de sentir o teu toque quando não me tocas...


2014/07/14

Post-it (infindável)!



2014/06/20

Disse-lhe que...


Há sempre alguém que quer outro alguém que já tem alguém...
E depois pensei que...
Há sempre alguém que já tem outro alguém e que quer outro alguém que não tem ninguém...
Se bem que...
Há sempre alguém que já tem alguém e que quer outro alguém que já tem outro alguém...
Mas também há...
Não me apetece refletir mais...

2014/06/13

O que Eu Te diria se...

Vivêssemos num mundo onde os corpos apenas servem como instrumento de prazer e as almas se fundem...

Continua, não pares...
Deixa as tuas mãos  deslizarem percorrendo, lentamente, todo o meu corpo!
Deixa-as fluírem sem medos, sem hesitações!
Deixa-as descobrirem o caminho que depois os teus lábios percorrerão...
Passeia pelo meu corpo com os teus lábios!
Deixa-os vaguear, lentamente, pelos contornos do meu corpo...
Não fales!
Não quero ouvir o meu nome no som da tua voz...
Não quero saber o teu...
Não quero perceber as palavras sussurradas por nós...
Quero ouvir, somente, os murmúrios por nós ciciados...
Quero apenas deixar-me ir contigo para o mundo onde...

Os corpos se confundem de tão unidos que estão e as almas se encontram de tão livres que são..

One Night in Paris - Joani

Porque, estranhamente, tudo se repete...

2014/06/09

(6) Dizem Que...


Nesta vida tudo o que fazemos ou dizemos tem consequências!

Hum...
Aguardo as "famosas" consequências...

2014/05/29

Gosto...

Gosto que me olhes com volúpia
Que me queiras sem pensar
Que não consigas disfarçar
A vontade de me amar
Gosto de imaginar que me tocas
Teus lábios em meu pescoço desejo
Deixando-o marcado pelo fogo
Do calor do teu ardente beijo
Gosto de sentir tuas mãos
Percorrendo-me o corpo despido
Tocando-me ao de leve
Com teu sopro perdido
Gosto de sentir o teu cheiro
Gosto que queiras o meu
Juntarmos os nossos corpos
Num abraço que se perdeu
Gosto das tuas mãos
Gosto de sentir teu tocar
Gosto como me desejas
Com loucura e sem pensar
Gosto da tua boca
Mordiscando-me ao de leve
Sentir arrepios em meu corpo
Numa espécie de orgasmo breve
Gosto que gostes de mim
Ainda que não saiba se existes
Apenas gosto de te imaginar
Nos momentos alegres e tristes…


2014/05/26

Numa Palavra Diria (Sensualidade)!

Sedução,
Encantamento,
Não
Se deve explicar!
Uma
Atração talvez…
Libidinosidade
Inexplicável que provoca
Devaneio…
Apetite secreto!
Desejo
Escondido…


2014/05/20

O Grito!


Que tenho preso em mim é tão forte que me custa a calar!
A dor, física e psíquica, que sinto é tão intensa que me faltam as forças para o grito exteriorizar… no entanto ele é tão intenso que me está a sufocar!
Hoje não é dia para falar…
Hoje apenas é dia para na minha concha me enfiar…
Ficar lá quietinha à espera que a dor e o grito me deixem em paz…
Não me peçam sorrisos, não me falem, ignorem-me até que o grito se deixe morrer, até que a dor se deixe desvanecer.
Depois EU voltarei a ser aquela que querem…
Aquela que ME APETECE ser…
APETECIA-ME, tanto, sentar-me à beira-mar e de grito mudo a maré alta esperar…
APETECIA-ME, imenso, que todas as dores que sinto a maré alta pudesse consigo levar…
Maldito grito que não quero querendo gritar!

2014/05/12

Era uma vez um pontinho…


Um pontinho pequenino, bem pequenino… mas esse pontinho tinha um grave defeito, era um pontinho que por mais que se escondesse todos o viam porque ele brilhava!
O pontinho bem que tentava não o fazer, cobria-se de incertezas, inseguranças, timidez, medos e outros que tais, mas o brilho era tão natural em si que nada disto o tapava.
Assim passava o tempo e quanto mais o pontinho tentava passar despercebido mais o seu brilho a uns ofuscava e a outros atraia!
O pontinho mudava-se de lugar, fazia longas caminhadas para lugares nunca vistos, pontos que não conhecia, mas o seu brilho intenso deixava rastos que uns com gosto seguiam e outros com ciúme também o faziam.
Um dia o pontinho pensou – “se brilhar é meu destino não o posso deixar de fazer, das duas três… ou rendo-me à minha condição e brilho, ou deixo de ser um ponto e passo a ser uma vírgula…”.

2014/05/02

Queres Namorar Comigo?


Diz que sim... Diz que sim...
É sexta-feira vamos namorar, amanhã é sábado já podemos terminar...
Está sol podemos nos beijar, separamo-nos no sábado e depois num dia de chuva em Paris vamos nos reencontrar!
Se me disseres que sim hoje por ti vou-me encantar, amanhã é outro dia e já posso me desenfeitiçar!
Hoje é sexta-feira é um bom dia para um namoro começar, depois temos o fim de semana para o fim do namoro comemorar...
Vá lá diz que sim que queres comigo namorar, faz-me uma surpresa e amanhã uma surpresa terás...

2014/04/29

Post-it (Nescidade)!



2014/04/28

(10) Faits Divers With Nonsense!


Se eu te dissesse o que queria e não o que me apetecia...
Tu ouvirias o que te apetecia e não o que querias!
Mas...

Se eu dissesse o que me apetecia e não o que queria...
Tu ouvirias o que querias e não o que te apetecia! 
Como não sei o que preferes...
Calo-Me!

2014/04/21

(9) Faits Divers With Nonsense!

 
Não gosto que me olhem fixamente nos olhos!
Sinto que me leem a alma...

 

2014/04/10

Post-it (Tempérie)!




2014/04/04

Hoje Apeteceste-Me!


Hoje apetecia-Me sentir o teu corpo junto ao meu.
Hoje quis ter-te comigo, ser o teu mundo, que fosses o meu porto de abrigo.

Hoje precisei de ti.
Precisei do teu ombro. De descansar meu cansaço. De sentir o teu abraço.
Sentir teus lábios no meu rosto. Receber teu calor no meu pescoço.
Adormecer minha tristeza no teu peito.
Desconversar conversando. Viver a realidade sonhando.

Sussurrares-me o sopro do sossego, sorrir-te um segredo.
Hoje precisei de ti... aqui...
Hoje queria que o hoje não fosse o passado, não fosse o futuro.
Hoje apenas quis que o hoje fosse o presente.
Hoje quis que o meu querer-te fosse verdade sem ser a realidade.
Hoje quis que Tu fosses Tu e não o meu querer...



2014/03/24

Apetecia-Me estar Apaixonada!

Apetecia-Me sentir o corpo em reboliço,
Ficar presa a alguém como se fosse um feitiço!
Apetecia-Me sentir o bater forte do coração,
Quando o visse ao longe morrer de emoção!
Apetecia-Me suspirar de paixão,
Sentir o seu cheiro e ficar com tesão!
Apetecia-Me amar loucamente,
Olhar nos seus olhos e quebrar de repente!
Apeteci-Me sorrir sem parar,
Um sorriso que percorre o corpo e nos põe a dançar!
Apetecia-Me ficar enroladinha,
Nos braços dele como uma bonequinha!
Apetecia-Me sentir borboletas na barriga,
Dar milhões de beijos e abraços depois da briga!
Apetecia-Me só nele pensar,
Tê-lo no pensamento noite e dia sem parar!
Apetecia-Me…
Apetecia-Me…
Apetecia-Me estar apaixonada
Ainda que não fosse correspondida, apenas e só pelo prazer de AMAR!

2014/03/21

A Vida É…


Cenário: uma paragem de autocarro em nenhures.

Personagens: Mulher1, de idade, ligeiramente, avançada, cabelo despenteado, saco de plástico com conteúdo indefinido no interior, olhar descorado pelos anos e semblante fechado.
Homem, de idade avançada, cabelo escasso, olhar e roupas descoloradas pelo tempo.
Mulher2, relativamente jovem, de olhar afável, cabelo irrepreensivelmente penteado, calças de ganga e t-shirt impecáveis.

A Mulher2 chega à paragem de autocarro e senta-se entre os outros dois personagens que já se encontram sentados, cada um numa ponta daquela espécie de banco.

Mulher1 – A vida é uma merda! – Olhar perdido, ombros descaídos! Toda a sua postura revela que já nada lhe importa, parece aguardar algo ou alguém que não virá!

Homem – A vida não é uma merda é mais que isso é uma desilusão! – A mesma postura o mesmo descrédito de tudo e de todos!

De repente viram-se os dois na direcção da Mulher2.
Os seus olhares inquirem-na, as suas posturas revelam agora que aguardam a “sentença” dela!

Será que ela dirá que a vida não é nada disso, que é um realizar de sonhos, a concretização de tudo que a faz feliz. Que a vida é um palco onde impera o amor, o carinho, a amizade, a alegria, os sorrisos e todas aquelas coisas que a fazem sentir que vale a pena estar nesse palco, naquela peça, naquela cena?
Ou será que ela dirá que mais do que merda ou desilusão a vida é um nada, um vazio. Que é sim um palco onde as personagens, ela inclusive, são manipuladas, quais marionetas, ao sabor e bel-prazer do seu manipulador. Que as personagens se deixam levar, sem vontade, apáticas, pois nada há a fazer?

A Mulher2 sente aqueles olhares “cravados” em si, levanta-se, dá dois passos em frente, vira-se na direcção dos dois outros personagens que se inclinam na sua direcção aguardando a "sentença", esboça um sorriso e diz:

– O autocarro chegou!


2014/03/13

2014/03/11

Há dias...


Há dias em que me apetece desistir
Fechar os olhos e deixar-me ir
Há dias em que a pressão me ultrapassa
E o viver o dia deixa de ter graça
Há dias em que me apetece os olhos fechar
Deixar de sorrir simplesmente deixar-me ficar
Há dias em que me apetece no precipício lançar
Esquecer os dias deixar de sonhar
Há dias que me fazem questionar
Se estes dias são dias para chorar
Há dias que são menos dias
Mas são dias que tenho de suportar…



2014/03/07

(5) Na Vida Aprendi Que...

Há adultos que se comportam como crianças!
Ok, até aqui nada de novo, já sabia isto, obviamente…
Mas ontem confirmei que há adultos que se comportam como aquelas crianças que descobrem uma piada e a repetem até à exaustão desde que haja um qualquer membro da plateia que a vá acompanhando no riso, ainda que forçado...
Não lhes interessa se estão a ser inconvenientes, se magoam outro alguém com as suas pretensas piadas, se a única pessoa a se rir com eles apenas o faz por ser um lambe botas
Não lhes interessa!
Tal como uma criança que não distingue o bem do mal esses Seres não distinguem o conveniente do inconveniente…
Fónix!
Será que não entendem que o comportamento que se tem num convívio de copos não pode ser igual ao que se tem profissionalmente? Ainda que os intervenientes sejam idênticos, quiçá os mesmos?
Ou então, provavelmente, sou eu que estou errada e já não existe o saber estar

2014/03/05

Se isto fosse o facebook...

 
Dia de trabalho em Bruxelas!

That's all folks...

2014/02/25

A Ponte, O Nevoeiro e D. Sebastião!



Viajando na Ponte da Arrábida em dias de intenso nevoeiro, ao som do Pedro Abrunhosa - Voámos em Contramão, perdida nos meus pensamentos, tudo o que sonho encontrar no final da Ponte é um "D. Sebastião"...
Há qualquer coisa de mágico na Ponte da Arrábida para mim e, muito provavelmente, para outras pessoas!

 

2014/02/11

Brincando com Palavras!


Conquista-me…

      Cativando-me!
Encanta-me…

      Fascinando-me!
Seduz-me…

      Provocando-me!
Desafia-me…

      Deslumbrando-me!
Extasia-me…

      Arrebatando-me!
Abraça-me…

      Estonteando-me!
Beija-me…

      Inspirando-me!
Mas acima de tudo…

                     Surpreende-me…. 

2014/01/30

Numa Palavra Diria (Astrosia)!


Esta manhã, na fila da VCI, fiquei entalada entre uma ambulância e um carro fúnebre!
Estranhamente, ou não, quem me desentalou foi um carro da polícia que gentilmente deixei entrar na fila...

2014/01/20

Eu, Tu... Não Nós!


Se Eu não fosse Eu e Tu não fosses Tu quem sabe poderia haver um Nós...
Mas...
Se Tu não fosses Tu e Eu não fosse Eu não queríamos que existisse um Nós...

 

2014/01/13

(11) Contradições... ou Talvez Não!



2014/01/02

Beijo à Chuva!


A chuva, ainda que não muito intensa,
Cai de mansinho e sem parar
Os seus olhos encontram-se no meio da neblina
Quedam-se juntos num delicioso namorar
Debaixo do guarda-chuva
Ele estica o braço para a abraçar
Ela sorri-lhe e esquiva-se instintivamente
Deixando-se apenas ao de leve tocar
Não pretende fugir-lhe
São hábitos a que se deixou acostumar
Oferece-lhe o corpo
Numa tentativa de se desculpar
Ele sorri-lhe, sorriso compreensivo
De quem aprendeu a perceber
Que as suas atitudes fugidias
São gestos inconscientes de se proteger
Num gesto suave,
Mão aberta, braço estendido
Acaricia-lhe o rosto
Ela sorri-lhe, sorriso atrevido
Vemo-nos em Nova Iorque?
Pergunta-lhe ele, olhos a brilhar
Quem sabe um dia desses
Responde-lhe ela desviando o olhar
Até um dia… talvez
Diz-lhe ela num breve sussurrar
Até sempre
Responde-lhe ele, procurando o seu olhar
Sem que ela saiba como
Os seus lábios encontram-se inesperadamente
Todas as suas artimanhas de esquiva
Dissiparam-se deliciosamente
Durante breves momentos
Seus lábios deixam-se deslizar
Suas bocas abrem-se lentamente
Com vontade de se provar
O guarda-chuva cai
Os seus corpos enlaçam-se suavemente
A chuva molha-lhes os rostos
Mistura-se-lhes com a saliva eternamente…