2012/06/03

Odeio Sentir-te em Mim!


Odeio sentir que me roubas o Ser!
Sentir-te a tomar conta do meu corpo!
Detesto que me faças perder os sentidos, que me enublas a visão, me faças perder a noção do ser, do existir, ainda que por breves minutos...
Detesto-te e detesto sentir que te deixo ganhar a batalha!
Odeio sentir que te aproximas de mim, que me vais possuir, que vais apoderar-te de mim, do meu corpo...
Que todos os meus esforços são em vão!
Eu sei que é mais fácil se eu não te resistir...
Deixar-te possuir-me...
Deixar-me ficar quieta enquanto te apoderas do meu corpo...
Enquanto o deixas sem forças à tua mercê!
As pernas bambas, o suor que me percorre o corpo, os tremores que o invadem, o estômago embrulhado...
Ainda que me deixes de cabeça à roda, tudo o que eu mais quero é que me possuas rapidamente e te vás!
Não te digo nada, mas não te quero em mim, apetecia-me gritar-to!
A única vontade que tenho é a de que me abandones...
Se eu não te resistir sei que depois de te deleitares em meu corpo, de te deliciares nele, de te manifestares em força, me deixarás descansar!
Não te quero em mim e numa estranha contradição quero que me possuas rapidamente!
Sinto-me tão sozinha nestes momentos em que me dominas e numa contradição ainda maior não quero ninguém a interferir neste nosso momento!
Só assim, sozinha, sinto que te controlo.
Odeio-te Ménière...
Um dia venço eu a batalha e não te deixo possuir-me...
Este(s) não foi o dia...