2012/06/25

(11) Conversas Entre Ele e Ela!


(Ou coisas pirosas que ela gosta de ouvir)
 
Levantou-se sem vontade de o fazer e não lhe apeteceu arranjar-se.
Não lhe apeteceu maquilhar-se, enfiou umas calças de ganga e uma t-shirt coçada pelos anos [gosta de a vestir quando se sente menos feliz, o Garfield de língua de fora nela estampado dá-lhe sempre algum alento] e prendeu o cabelo num rabo-de-cavalo meio desfeito. Enfiou uns sapatos sem salto o que lhe dá a ilusão de não ser vista, sendo baixinha passará, mais facilmente, sem ser notada.
Quando entra no edifício grunha um bom dia, não se fixando nas pessoas presentes.

Ele (sorriso estampado no rosto) - Bom dia, já tinha saudades de te ver, alegras-nos sempre o dia.

Ela (sorriso sarcástico) - Sim... devo ser mesmo um encanto... então hoje com este ar de bruxa acabada de despertar...

Ele (sorriso ainda maior, olhando-a fixamente) - Não me pareces nada uma bruxa, mas sim uma princesa a desabrochar...

2012/06/13

Porque Não Me Apetece Contá-lo a Ninguém...

mas preciso gritá-lo ao mundo...
Quando me disseram que o meu Amigo morreu não consegui chorar...
Prendi as lágrimas, prendi os sons ficaram os sufocos!
Umas horas depois (agora) recebi uma mensagem e enquanto via no visor do telemóvel o nome do remetente tremi... li-a e libertei as lágrimas, os sons, o medo, a raiva sei lá eu que mais...
O remetente era Ele... a mensagem era escrita por um familiar (em nome da esposa) e comunicava-me a sua partida...
Por momentos pensei que era Ele... que tudo não passava de um boato...
Depois percebi, entendi que nunca mais iríamos ter conversas nonsense, rirmos de coisas que sós os Amigos entendem, partilhar a vida...
Que por mais que me tente convencer que viver uma vida de dor como a que Ele, ultimamente, vivia não era vida...
Que o tempo tudo atenua...
Que os que Ele amava e o amavam com o passar dos dias sentirão menos dor do que aquela que sentiram vendo-o sofrer...
Não consigo deixar de sentir um rodopio de emoções, de sentir que não é justo...
De me sentir egoísta...
De querer estar assim, sozinha... mas com vontade de um abraço...

   

2012/06/10

Dear Carlos,

as coisas que me disseste não faziam sentido, não eram verdadeiras, eram ilógicas, desprovidas de sinceridade, enganadoras, calculadas, um embuste, um ardil, um engodo...

Sim, eu sempre soube tudo isto, mas fingi que não porque ainda assim...

Eu gostei de as ouvir!



2012/06/03

Odeio Sentir-te em Mim!


Odeio sentir que me roubas o Ser!
Sentir-te a tomar conta do meu corpo!
Detesto que me faças perder os sentidos, que me enublas a visão, me faças perder a noção do ser, do existir, ainda que por breves minutos...
Detesto-te e detesto sentir que te deixo ganhar a batalha!
Odeio sentir que te aproximas de mim, que me vais possuir, que vais apoderar-te de mim, do meu corpo...
Que todos os meus esforços são em vão!
Eu sei que é mais fácil se eu não te resistir...
Deixar-te possuir-me...
Deixar-me ficar quieta enquanto te apoderas do meu corpo...
Enquanto o deixas sem forças à tua mercê!
As pernas bambas, o suor que me percorre o corpo, os tremores que o invadem, o estômago embrulhado...
Ainda que me deixes de cabeça à roda, tudo o que eu mais quero é que me possuas rapidamente e te vás!
Não te digo nada, mas não te quero em mim, apetecia-me gritar-to!
A única vontade que tenho é a de que me abandones...
Se eu não te resistir sei que depois de te deleitares em meu corpo, de te deliciares nele, de te manifestares em força, me deixarás descansar!
Não te quero em mim e numa estranha contradição quero que me possuas rapidamente!
Sinto-me tão sozinha nestes momentos em que me dominas e numa contradição ainda maior não quero ninguém a interferir neste nosso momento!
Só assim, sozinha, sinto que te controlo.
Odeio-te Ménière...
Um dia venço eu a batalha e não te deixo possuir-me...
Este(s) não foi o dia...