2012/01/27

Hoje apetece(u)-me namorar!

Dar as mãos e ficar de sorriso nos lábios, brilho nos olhos, contemplação mútua sem pensar…
Trocar abraços, beijos e amassos…
Conversar, falar, deixar a palavra solta com o seu som nos encantar…
Contar-te os meus medos, permitir teu amparo, revelar-te meus segredos…
Ouvir teus segredos, dar-te meu amparo, dissipar-te os medos…
Planear o futuro, viver o dia-a-dia, esquecer isso tudo…
Viver o simplismo, receber flores, fazer coisas pirosas no pretexto do romantismo…
Sentirmos paixão, ardor, carinho, amor, emoção…
 
Hoje apetece(u)-me namorar, mas depois pensei…

“É sexta-feira…
Estou apenas a delirar…
Ou será a rimar?
É que ainda me falta o “Ele” encontrar…
E será que quero?
Poderei eu tal delírio almejar?
Ai que confusão…
Olha Green Eyes cá para mim estás é a sonhar…
Ou será a alucinar?
Ou será da música que está a tocar?
Nada disso criatura…
Estás é a disparatar…
Assim do género, com as palavras brincar… ”