2011/12/23

Hoje fiz um pedido...


Um Especial que quero muito que se concretize...
Fi-lo ao Ser em que acredito, Aquele que nunca me abandona!
Já agora quero um outro... Tempo!

Preciso de Tempo!
O Tempo foge-me,
Corre-me pelos dias e pelas noites,
Eu crédula continuo atrás dele,
Na vã tentativa de o apanhar,
Mas ele, qual pássaro sem dono,
Esquiva-se-me sorrateiramente!
Amanhã, penso eu,
Amanhã apanho-te!
Amanhã terei o Tempo para mim,
Para o usar como bem me aprouver,
Para o dedicar a quem bem me apetecer!
Responde-me o Tempo correndo
Para que queres tu mais Tempo?
Se mais Tempo tiveres, mais Tempo quererás!
Respondo-lhe eu docemente
Eu só queria a todos contentar!
Contrapõe o Tempo calmamente
Aqueles que te estimam
Sabem que eu pelos teus dias e noites deslizo
E por isso não deixam de de ti gostar,
Sabem que um bocadinho de Tempo tu consegues em cada dia me roubar,
Que esse bocadinho pouco a pouco
A cada um dedicarás!


Peace and Love or Else para todos os que aqui passam!

Bem... já agora podem dar-me presentes que eu adoro! (nada material óbvio) :)
Surpreendam-me!
greeneyesapetite@gmail.com

2011/12/19

(9) Conversas Entre Ele e Ela!


Ele - Nem parece que passaram dez anos, continuas igual... bonita, o mesmo olhar, o mesmo sorriso, divertida, simpática... apenas me pareces mais calma!

Ela - Mais calma?! Eu sempre fui calma...

Ele - Não, dantes dizias o que tinhas a dizer... não calavas nada...

Ela - Ah, mas eu continuo assim... apenas mudei de estratégia... antes eu era impulsiva agora espero o momento certo... nem que passem dez anos...

2011/12/09

Provocação?!


Ela caminha, em passos apressados, pelo corredor.
Vai absorta nos seus pensamentos, pensa mil e uma coisas enquanto sorri de olhar perdido.
Caminha de sorriso nos lábios, como é seu hábito, que apenas interrompe para debicar um pacote de cajus.
Ele, passos apressados, caminha em direcção a ela de sorriso maroto nos lábios e de olhar matreiro.
Param um frente ao outro.
Ele porque lhe apetece, ela porque ele lhe barra a passagem.
Ele de olhar ainda mais matreiro, sorriso mais travesso, diz-lhe enquanto lhe lança um olhar sobre a parte das pernas deixadas a descoberto pelo calção curto e botas de cano alto:
- Hum… estás tão apetecível, apetecia-me mesmo roubar-te e…
Ela interrompe-o e questiona-o sorrindo, disfarçando o rubor:
- Os cajus?
Não espera pela resposta, nunca espera, dribla-o rapidamente, mas ainda consegue ver-lhe, pelo canto do olho, o olhar confundido.
Um dia… um dia esquece todas as suas certezas e deixa que um ele acabe a frase… pensa enquanto ouve ao longe o soar da gargalhada que ele dá!

2011/12/04

A palavra "errada" e ele quase não me beijava!

Eu, doravante aqui mencionada como Green Eyes, estava num local, doravante aqui mencionado de consultório médico, quando entrou uma senhora amiga de minha Mãe, doravante aqui mencionada de Senhora, com o seu filho de cerca de quatro anos, doravante aqui mencionado de Mi.
Senhora - Olá, está boa? (espeta-me dois beijinhos super barulhentos nas bochechas, enquanto se vira para o filho e diz) Mi, dá um beijinho a esta senhora!
Como o Mi abanava, insistentemente, a cabeça em sinal de desaprovação Green Eyes diz - Não o force, eu nestas coisas não insisto, se não querem dar não faz mal!
Senhora - Ó Mi, dá lá um beijinho à senhora!
Mi (com ar de espanto) - Não é xehôra... é mnina!
Green Eyes - Oh... tão querido!
Afinal o problema do Mi nem era dar o beijinho, que depois da correcção da Mãe para "pronto, dá lá o beijinho à mnina" até deu... vários, aliás depois até foi um vê se te avias para ele parar de dar... sim... Green Eyes tem este efeito sobre os miúdos...