2011/06/25

Tu sabes, Eu baralho-me nas palavras!


Atropelam-se-me no pensamento e saem todas em catadupa!
A pressa de as fazer chegar a ti criam este meu caos ortográfico, poderia corrigi-lo, voltar atrás, apagar e reescrever, mas não tenho tempo…
São tantas as coisas que te quero expressar que na ânsia de nada esquecer tudo olvido!
Não posso revê-las, às palavras, temo apagá-las e nada te escrever, parecem-me tão ridículas…
São tantas as palavras, é um imenso mar de coisas que te quero dizer e eu não sei as regras gramaticais, falho na sintaxe, crio novas semânticas, invento novas morfologias!
Talvez seja melhor estarem assim, embaralhadas, confusas, assim não formam as frases que bem estruturadas ainda seriam mais risíveis do que as próprias palavras!
Depois, para agravar ainda mais a minha falta de clareza, tenho este sonho secreto…
O de que tu não precisas de ler as minhas palavras para compreenderes ou saberes o que eu te quero dizer!

Fait Divers With Nonsense 
by Green Eyes