2011/06/19

No Amor tal como nas estradas!

Sabes aquela curva da estrada em que um dia tive uma espécie de acidente?
Desde esse dia tenho-a evitado.
Evito todos os destinos a que ela levam!
Esquivo-me de todos os destinos a que ela me levaria!
Procuro, construo, percursos alternativos para poder banir aquela curva do meu caminho!
Deixei de ir aquele lugar de que tanto gostava apenas porque para o desfrutar teria de enfrentar de novo aquela curva!
Não quero, não me apetece, apesar de ter passado tanto tempo ainda não a consigo encarar, nem a ela nem a todas as outras curvas que me parecem sempre muito similares...
Chamar-lhe-ás, quiçá, cobardia... eu chamo-lhe protecção!