2011/06/27

Enganada na minha cama!


Acordei com uma sensação de arrepio…
Sinto uma espécie de brisa que me invade a perna e penso que deveria ter fechado a janela antes de adormecer!
Emaranho-me, ainda mais, nos lençóis na tentativa de a cobrir com eles!
A sensação é cada vez mais intensa, tenho mesmo a impressão de que alguém ma toca subtilmente…

Devo estar naquela fase intermitente entre o cá e o lá, naquela em que ainda estou a decidir qual dos dois Mundos deixar!
É isso, estou a sonhar, são os teus dedos que me acariciam levemente!
Percorres-me, ao de leve, a perna com a ponta dos teus dedos, sinto-os subirem lentamente a minha perna!
Experimento um misto de sensações!
Sustenho a respiração!
Tenho de confessar-te que o não faço numa antecipação do prazer que segundo a segundo começo a sentir… sustenho-a porque não consigo evitar as cócegas!
Não resisto e a muito custo abro os olhos… não te vejo… mas continuo a sentir-te... levanto a cabeça e olho a minha perna meio dobrada na vã tentativa de evitar o teu toque…
Levanto-me repentinamente!
Estou furiosa comigo, contigo, com elas… sim elas, as que tão bem me enganaram, as dissimuladas, as que me fizeram acreditar que eras tu quem aqui estava a perturbar-me o sono!
Malditas formigas! Por onde entraram elas?!
Não fosse eu gostar tanto de formigas e chacinava-as a todas!