2011/05/05

Dançando Com As Emoções!

De novo os mesmos pensamentos!
As mesmas ideias e reflexões fervilham na sua mente!
Porque nada bate certo?
Porque tem de ter sempre a pessoa errada apaixonada por ela?
Pessoa errada, cada vez que usa essa expressão esboça um sorriso, o que será uma pessoa errada? - questiona-se sempre!
Aprendeu com a vida, com os outros, com as convenções sociais que certas características os farão serem o homem errado na sua vida e inconscientemente afasta-os!
Como gostava de ser uma pessoa normal, daquelas em que tudo acontece como mandam as regras (se bem que ela até gosta de ir contra certas regras), daquelas que amam e são amadas, daquelas que se apaixonam!
Porque não se apaixona ela? Porque não se liberta ela desse item vital, no seu entender, para poder apenas gozar o momento?
Apetecia-lhe que a convidassem para um café, mas não um daqueles convites que costuma ter, não desses, não lhe apetece ter de contornar segundas intenções, nem terceiras ou coisa que o valha…
Mas o que ela gostaria mesmo, muito, era dum convite para dançar!
Apenas isso, corpos que se tocam sem se tocarem, num rodopio voluptuoso!

Peles que libertam suores e luxúria que provocam e satisfazem a libido! 
Corpos que libertam a lascívia escondida!
Olhares que se cruzam com promessas de um beijo!
Quem sabe assim ela conseguiria ser como as outras pessoas, conseguiria apaixonar-se!

Short Stories
   Green Eyes 

Dance Me Out – Zeph Amber