2011/04/15

A Mão, A Rosa e os Espinhos!


Era uma vez uma Mão
Que uma Rosa resolveu colher,
Porém a Mão foi apressada
Picou-se nos Espinhos e ficou a sofrer!

A Rosa pediu-lhe desculpa
Disse não ser essa a intenção,
Os Espinhos fazem parte dela
Nasceu assim, é a sua condição!

A Mão voltou a insistir
Desta vez tentou enganar a Rosa,
Mas os Espinhos protectores
Picaram de novo a Mão gulosa!

Ó Rosa porque me picas?
Não o faças, continuou pedindo,
Porque não sabes tocar-me
Disse-lhe a Rosa sorrindo!

Os Espinhos são a minha armadura
Esta armadura protectora,
Deves tocar-lhes com jeitinho
Com meiguice eles vão-se embora!

A Mão ficou a olhar
Pensando por onde começar,
Se os Espinhos a tornam mais bela
Não deve a Rosa deles privar!

Não querendo machucar a Mão
A Rosa fechou-se em si,
Ainda assim a Mão lhe disse
És a mais bela flor que já vi!

Se houver Mão cuidadosa
Sabendo os Espinhos amolecer,
Tem esperança a Rosa
Um dia por uma Mão deixar-se colher!


(Sem) Sentido
Green Eyes