2011/02/28

Ele Segredou-Me que há Dias em que...


A vontade de subir àquela montanha, percorrer todas as curvas da sua sinuosa estrada até ao ponto mais alto, lá chegado esquecer de fazer a última curva, deixar-se ir em frente, galgar  o separador e deixar-se entrar no precipício, é tão, mas tão forte!!

Olhar-se voando sobre o seu próprio corpo, inerte, caído ao volante do carro, enquanto este se aproxima do fundo do precipício, num ápice de segundos, mas que para ele são horas, ver-se enquanto o seu corpo se desfaz... se liberta de tudo... lágrimas escorrendo-lhe no rosto num misto de dor, libertação, compaixão, felicidade...

Apetece-lhe tanto, mas tanto...

Segredou-me Ele que assim deixaria de se sentir usado, esgotado, sugado, deixaria de sentir os parasitas que o rodeiam, que lhe levam a alma, o Ser, a vontade de viver porque se sente extorquido, espoliado, apenas usado e nunca notado... as angústias, os medos, as incertezas...

Segredei-lhe Eu que deixaria de sentir tudo isso mas também os sorrisos dos que verdadeiramente o amam e não daqueles que apenas usam a palavra amor por conveniência, os abraços de quem nada lhe pede em troca, a dádiva da vida, a esperança de que todos os que o magoam o ignorem, as descobertas, as surpresas boas (que ainda existem) e tantas coisas mais...

Gritou-me Ele:

"Não me abandones nunca... ajuda-me a viver!!"

Mas nenhum abraço é mais forte que a vontade...

Tenderness - Sterling Brown

Short Stories
Green Eyes

2011/02/24

Post-it (Cilada)!




2011/02/23

O Fábio "tem-Me pelo beicinho"!


Lembram-se do Fábio?
Não?!
É o miúdo que se fartou das minhas mamas! [ingrato...] É este - O Fábio e o meu colar!
Pois é, ele voltou!
Mal entrou no meu gabinete disse à mãe: - eu xou à fente, quelo ber a onita! [para os mais distraídos a onita sou eu... nem entendo que tenham dúvidas :)]
Desta vez só queria espreitar por baixo da mesa... não percebi porquê... talvez porque eu não usasse colar...
Mas a parte divertida foi ao sair a forma como ele se despediu de mim: - pota-te mal [expressão copiada de mim que a digo sempre aos miúdos], atirou-me um beijinho com os lábios abriu um daqueles sorrisos sedutores e disse: - és munto xila babe!
Sabe-a toda o miúdo... nem quero imaginar como vai ser quando crescer...
Obviamente que todos os seres do sexo masculino que foram por mim atendidos a seguir a isto tentaram também chamar-me Babe... mas não teve o mesmo impacto... 

2011/02/22

Eu que nem costumo dizer palavrões...


Hoje até em chinês os digo...

拉屎    他媽的   母狗

Relaxa...
Inspira...   Expira...
Inspira...     Expira...

Apre... há dias em que as pessoas parecem cogumelos... é vê-los a aparecerem do nada...
Apetecia-me mudar a placa da porta do gabinete... em vez do meu nome colocar "pessoa genial temporariamente fora de serviço"...

2011/02/21

Sexo?! Não... Deduções à Green Eyes!

Green Eyes gosta de deduções, mas Green Eyes não gosta de deduções no salário [maus...]!

Green Eyes gosta de deduções em sede de IRS, mas Green Eyes não pode fazer grandes deduções porque senhores dos impostos lhe vedaram isso!

Green Eyes quer muito fazer deduções por isso Green Eyes faz destas:

Dizem que a palavra tem muita força!
Green Eyes duvida...

Calma, Green Eyes explica:

Exemplo:

Quando acontece isto:

Pessoa piropadora que passa ao pé de Green Eyes na rua: - Ai jeitosa que te levava para a moita...
Reacção de Green Eyes: sorriso disfarçado e mais nada (quando muito pensa - vá lá que não há moitas aqui perto...)!

Se (pouco provável) acontecesse isto:

Pessoa do sexo masculino que Green Eyes tem assim a modos que atravessada no pensamento: - Ai jeitosa que te levava para a moita...
Reacção de Green Eyes: Leva... leva... (a olhar para todos os lados à procura de qualquer coisa parecida com moita... sorriso, riso aparvalhado, coração aos saltos e mais coisa e tal...)

Assim, e deduzindo à Green Eyes, a força não está na palavra mas sim em quem a diz e a quem a diz!

2011/02/20

Post-it (Precatar)!





2011/02/17

A Minha Última Paixão* Veio de Braga!


Apaixonei-me!
Eu que sou mecinha para paixões de 30 minutos e pouco mais lá voltei a me apaixonar por mais tempo...
Comecei o namoro há já alguns dias, andei a namorá-lo e quando já não resistia mais enviei um email à Rosinha do Tilida5ever Design a implorar-lhe que me ajudasse nesta  minha paixão! Só ela me podia fazer chegar à fala com o meu objecto de prazer, a minha paixão! Obviamente que lhe pedi opinião, queria saber se ela achava que eu iria ser correspondida nesta minha paixão, ao que ela me disse, sem hesitações, que sim, que nos iríamos dar muito bem!
Fizemos então os acertos do encontro e fiquei a aguardar a chegada da minha paixão! Ainda temi que ele não me correspondesse à paixão, uma vez que tardava em chegar [para uma pessoa apaixonada os dias parecem meses...] e voltei a contactar a Rosinha confidenciando-lhe o meu temor... A Rosinha que é um doce de pessoa lá me aturou e ainda teve o cuidado de me sossegar dizendo-me que ele estaria logo, logo a chegar a minha casa!
Finalmente hoje ele chegou!
Amei, adorei sei lá que mais palavras usar para o expressar...
Todos os que já puderam apreciar a minha paixão perceberam o porquê de tal sentimento, dizem que é mesmo a minha cara!
Obrigada Rosinha!

As fotos não conseguem transmitir a sua real beleza

*colar e brincos feitos pela Rosinha do Tilida5ever Design

A opinião de Green Eyes sobre Políticos!


Oiço muitas, mesmo muitas, vezes dizer que "os políticos são todos maus"!

Ora bem, para mim existem:
  • maus políticos que são maus;
  • maus políticos que são bons
  • bons políticos que são maus;
  • bons políticos que são bons!
Concluindo, e dependendo do objectivo  político um encontro de predicados para mim é o ideal...
E que os há... ai isso há... ai.. ai.. ;)

2011/02/16

O "Strip-Tease" Forçado de Green Eyes!

Que chove a potes já todos sabem!
Que está um vento de levantar os cabelos aos carecas já todos sabem!
Que chovem pedras brancas dos céus, vulgarmente chamadas de granizo, já todos sabem!
Mas o que nem todos sabem é que Green Eyes nos cerca de 200 metros que fez entre o estacionamento e a porta do serviço se molhou de tal modo que teve de se despir...
Pois é... aqui anda ela de meias de liga, lingerie e pouco mais à espera que a roupa seque...
Tenho para mim, assim baixinho para ninguém nos ouvir, que é hoje que isto fica deserto...



2011/02/15

Há coisas inexplicáveis... ou então não!


Ainda gostava de perceber porque é que um blogue liliputiano assim do género do Para Quando Me Apetece..., que apenas tem meia dúzia, se tantos e isto em dias bons, de leitores é plagiado...
É que de repente, e numa procura na Internet cujo fim nem era o de verificar isso, me aparecem os meus textos, sim meus porque são escritos por mim, inspirados em situações da minha vida, vividas ou sentidas - são dos outros enquanto leitores e porque os quero participadores dessas vivências, desses sentimentos!
Mudam-se umas vírgulas, uns pontos, metem-se uns sinónimos, mas continuo a ser Eu que lá estou!
Eu gosto da partilha mas detesto o roubo!



Ele Definiu-Me Assim... e Eu [até] Gostei!


Green Eyes à conversa com um miúdo de cerca de 9 anos:

Green Eyes - Ah, então a tua namorada é a mais linda da escola é isso?

Miúdo - É assim como tu!

Green Eyes - Como eu? Achas que eu sou linda ou feia?

Miúdo - Nem linda nem feia...

Green Eyes - Então sou como a tua namorada assim mais ou menos é isso?

Miúdo - Não! És rapariga... nem linda nem feia... és rapariga só e mais nada!

2011/02/14

Um dia... [Eu prometo]


Um dia eu baixo as minhas defesas…
Um dia eu deixo-te no meu mundo entrar…
Um dia eu deixo que tu me ensines a não resistir…
Um dia eu deixo-te usares em mim a palavra amar…

Um dia será esse O dia…
Um dia se ainda quiseres esperar…
Um dia porque hoje não é O dia…
Um dia se ainda o quiseres tentar…

Um dia será O dia…
Um dia que há-de chegar...
Um dia em que me dirás…
Hoje é dia de te deixares amar!

(Sem) Sentido!
Green Eyes  

 

2011/02/11

Eu e "estas coisas" das Pessoas que...


Num dia são todas elas mel connosco...
No outro nem nos vêem...
Num dia quase nos beijam na boca...
No outro nem um simples bom-dia...

Com estas pessoas e suas atitudes tenho, quase sempre, umas etapas a percorrer até me serem indiferentes...
  1. Fico triste... chego mesmo, em alguns casos, a chorar baba e ranho...
  2. Começo a questionar-me que raio se passa... 
  3. Invento mil filmes, quase sempre achando que o problema é meu...
  4. Volto a chorar baba e ranho...
  5. Começo a pensar que há pessoas mais estranhas do que eu...
  6. Tenho vontade de lhes dizer o que penso...
  7. Começo a esquecer...
  8. Consigo partilhar o mesmo espaço, real ou virtual, que elas sem tremer, sem ficar à espera...
  9. Esqueço...
  10. Tenho dificuldades em me lembrar que já passei as etapas anteriores com elas...

Também é uma verdade que normalmente esqueço e volto a falar às tais pessoas quando a elas lhes convém... mas outras há a quem depois sou eu que não me Apetece falar...
     Mas não gosto... nada... nada mesmo de ter de percorrer estas etapas, ainda que num curto espaço de tempo... fico desiludida com as pessoas... e eu gosto de pessoas... e detesto desiludir-me...

    2011/02/10

    Falar Sem Palavras!


    Apesar de serem dois estranhos olham-se como se se conhecessem desde sempre!
    Ela senta-se numa das pontas daquele banco de jardim, aquele banco que está mais escondido, aquele donde pode ver tudo e todos mas onde ninguém a pode ver!
    Ele senta-se na outra ponta do mesmo banco!
    Não se olham!
    Nada dizem, mas no entanto sentem que tanto um como o outro se ouvem!
    Em pensamento ele fala com ela e ela com ele num diálogo mudo de palavras mas intenso de sentidos!
    Ele faz as perguntas mentalmente e aguarda que ela as responda enquanto que ela lhe dá as respostas mentalmente e aguarda as perguntas!
    Passaram cerca de 30 minutos... ela levanta-se e olha-o... sorri-lhe e diz:
    - Então até qualquer dia...
    Ele olha-a e sorri-lhe de volta dizendo:
    - Então até qualquer dia... obrigado pela companhia... foi um prazer...

    Short Stories 
    Green Eyes

    New York State Of Mind - Brent Lynch

    2011/02/07

    Uma "Loucura" Apetecida!


    Apetecia-Me ir contigo, um desconhecido, para um lugar à beira-mar também ele desconhecido!

    Apetecia-Me estar assim sem cobranças...

    Apetecia-Me estar num lugar onde pudesse ignorar os outros menos a ti...

    Apetecia-Me não ter de sorrir para ninguém a não ser para mim e eventualmente para ti...

    Apetecia-Me estar de mente liberta de tudo...

    Apetecia-Me contar-te coisas que não conto a ninguém...

    Apetecia-Me ouvir-te contar coisas que não contas a ninguém...

    Apetecia-Me receber uma flor beijada por ti...

    Apetecia-Me saber qual a música que escolherias para nós...

    Apetecia-Me apenas estar sem ter de estar...

    Apetecia-Me fazer uma loucura contigo...

    Apetecia-Me que essa loucura fosse apenas olhar o mar e ouvirmos o mesmo silêncio...

    Apetecia-Me dançar contigo descalça na praia ...

    Apetecia-Me fazer cenas parvas como nos filmes românticos...

    Apetecia-Me medir a minha mão na tua...

    Apetecia-Me acariciar-te o rosto...

    Apetecia-Me ouvir a tua gargalhada de felicidade...

    Apetecia-Me dizer o teu nome e ouvir-te o meu...

    Apetecia-Me não ser eu...

    Apetecia-Me ser apenas um Ser junto a ti...

    Apetecia-Me ser louca, mais ainda...

    Apetecia-Me que te apetecesse o mesmo...

    Vamos?



    2011/02/03

    Apetece-Me Opinar!

    (Também me apeteciam outras coisas mas agora não tenho tempo...)
    Sim, eu sei que ninguém solicitou a minha opinião, mas hoje apetece-me muito opinar e como este é um apetite que não me apetece refrear (já me basta os outros... já me basta...)... cá vai!

    Eu peço desculpa (ou então não...) de não concordar com sua excelência o fashion adviser*.

    Na opinião dele (e diz ele que ele é que sabe)... as mulheres a partir de "uma certa idade" não podem usar mini-saias, mini-vestidos nem decotes!

    Na minha opinião (já sei que ninguém pediu... escusam de me relembrar...) não é uma "questão de idade"... é mesmo uma "questão de pernas e de peito"... 
    Há quem nunca os deveria usar e quem os possa usar até aos cem anos...
    Mas isto sou eu a opinar porque hoje...

    Apetece-Me!

    Ah... e também porque tenho a mania de que posso usar mini-saias, mini-vestidos, mini-calções e decotes...


    * ele é que nunca me viu... mudava logo de opinião... ;)

    2011/02/01

    Só Um Grego Me Faria Levantar da Cama!


    Estava tão bem!
    Tão confortável!
    Tão quentinha!
    Rodeada de livros e almofadas, ao som do meu blogue
    Nada me faria dali sair até que a vontade de comer um Grego foi mais forte!
    Tinha uma forte necessidade de o saborear!
    Apetecia-me de tal forma senti-lo entrar em mim que comecei a salivar qual cão de Pavlov!
    Eu olhava para os livros... eu olhava para as almofadas... todos tão acolhedores, não me apetecia largá-los!
    Depois imaginava-o a ele, ao Grego
    Ali sozinho a clamar por mim
    Desejoso de ser devorado por Green Eyes!
    Esta dualidade de pensamentos estava a deixar-me doida!
    A vontade de lhe pôr a boca em cima era cada vez mais urgente!
    Enchi-me de força de vontade de deixar o meu caloroso e amistoso ninho e levantei-me!
    Peguei nele, no Grego, e devorei-o!
    Ó Deuses do Olimpo... que prazer!
    Deliciei-me com ele, com o Grego, e tenho a certeza de que ele, o Grego, também sentiu o prazer sublime... afinal foi para essa função, a de ser comido, que ele, o Grego, cá veio parar a casa de Green Eyes!!

    Para a próxima que for ao mar avio-me em terra... levo logo um Grego comigo para a cama...