2010/05/19

Meu Querido Anónimo…

Venho por este meio, o blogue, já que não tenho outro meio de o fazer, é o que dá o seu “excesso” de anonimato, pedir-lhe (repare no modo cerimonioso como o trato, isto indica o meu estado de desespero…) encarecidamente que:

Me largue da mão;
Pare de me enviar 10 milhões (até que nem exagero muito, só são menos uns dois ou três…) de comentários parvos e idiotas por dia;

Pare…
Pelo Amor da Santa, pare…

É que por causa das suas idiotices apago outros comentários que não quero apagar...
Irrito-me...
Canso-me...

“Quero-te comer” (já sei... não está mal escrito, teve o cuidado de me explicar que são duas coisas distintas…) se quer, mesmo, podemos negociar:

cozida com batatas?; 
assada com arroz de forno?; 
frita?; 
grelhada?;

Decida-se e diga… é que eu já não aguento mais…

Já agora aproveito a deixa e agradeço à anónima querida (deve ser a companheira...) que me desampare a loja também...

(não me apetece pôr aspas ou itálicos...)