2010/04/30

Segredos...


Descansem que não vos vou contar nenhum dos meus segredos...

Apenas me apetece reflexionar...

Gosto, ou melhor adoro, contar um segredo1 e que em breves horas já todos o saibam... (Obviamente que nem toda a gente é assim... ainda há quem guarde segredos...)

Um destes dias, ou um dia destes, contei um suposto segredo a alguém!
Faço-o de uma forma perversa 2... quando quero que algo seja espalhado conto-o como se de um segredo se tratasse...

Até aqui tudo normal, o meu objectivo seria conseguido!
O anormal dentro desta normalidade foi o facto de, um par de horas depois, a pessoa a quem contei o tal segredo, chegar ao pé de mim e dizer:

- Sabes uma coisa que eu descobri? Mas é segredo...

E conta-me o meu segredo como se tivesse sido outra pessoa a contar-lho...




Há gente super divertida :)

Este texto hoje está "carregadinho" de itálicos...

1 Obviamente que eu não conto segredos, nem meus (só ao interessado... se existir) nem de outros!
2 Normalmente em situações profissionais... tácticas de chefia...

2010/04/29

Amizade... Paixão... Conclusão de Green Eyes!


Evitando os factos evitam-se as consequências...


Traição de uma Amizade = Desilusão

Traição de uma Paixão = Contratempo

A ter de ser traída...

Prefiro...

Contratempos



Até que sou "boa" a evitar contratempos...
Mas como se evitam desilusões?!

Já Passa Das 04h00... "Quebra"...




Se eu nunca o tivesse escrito... 


Este era o momento perfeito!!

2010/04/28

Irrita-me Que…


Me façam a mesma pergunta "n" vezes seguidas apesar de eu a responder sempre!!!

Mas, mais me irrita ainda que, quando questiono sobre a insistência da pergunta, a resposta seja (invariavelmente):

Porque quando te irritas os teus olhos ficam ainda mais verdes…



2010/04/27

Green Eyes "Manda"... Miúdo Faz!


Para mim as salas de espera dos consultórios médicos e/ou centros de diagnóstico são sempre um "poço de surpresas", basta avaliarem pelos textos que já aqui escrevi sobre isso!

Desta vez foi no consultório do dentista, local onde estranhamente gosto de ir...

Então foi assim:

Green Eyes estava a ler (desta vez estava mesmo) um livro enquanto esperava quando foi despertada do seu mundo de fantasia (culpa do livro...) por uns gritinhos de nojo de algumas pessoas e risinhos de outras! Olhou e viu um miúdo de "dedo em riste" e com uma enorme catota na ponta do mesmo...
O miúdo perguntava às pessoas, apontando-lhes o dedo, quase enfiando-o na cara de algumas, onde deveria meter a catota!
Ora, se a uns lhes dava para rir; a outros, muito pelo contrário, provocava-lhes nojo...
A Mãe, sentada ao fundo da sala, dizia-lhe, sem grande convicção, para ir lá que lhe dava um lenço de papel, mas o miúdo estava a achar piada à brincadeira e continuava...
Para mal dos seus pecados, do miúdo obviamente, veio meter-se com Green Eyes:

- Olha que faxo à caca?

Green Eyes, que tem muito jeitinho para os miúdos, responde-lhe sorrindo:

- Come-a... anda lá... é muito saborosa... vai parecer-te chocolate!

E não é que o miúdo a enfia, à catota, na boca e diz:

- Mããeee é booommm!!!



O "jeitinho para os miúdos" não é brincadeira, tenho mesmo!

2010/04/26

Soletra-me Saudade!


Maria continua de olhar "cravado" no ecrã, as lágrimas toldam-lhe a visão! 
Passaram alguns minutos desde que António escreveu: 

- Sinto tanta dor, tanta tristeza por causa das saudades que tenho do teu sorriso :(

Maria não tem culpa, nunca lhe sorriu de forma diferente do que sorria para os outros, mas mesmo sabendo disso sente-se culpada!
Os seus dedos tocam levemente as teclas enquanto ela escreve:

- Soletra-me a palavra SAUDADE.

As letras surgem no ecrã enquanto a algumas centenas de km António as vai digitando:

- S de simpática;  A de amor; U de única; D de divina; A de alegria; D de desejo; E de esperança.

Maria sorri e responde:

- Se soletras saudade assim então não sentes dor... todas as palavras que usaste para a soletrar são palavras que nos trazem bem-estar!

- As palavras usadas para a soletrar são as que uso para te soletrar a ti :)
 Responde-lhe António.

Maria desliga, há respostas que não têm resposta...

Time to Say Goodbye - Alfred Gockel


Short Stories - Green Eyes

2010/04/24

Hoje Apeteceu-me Republicar Um Post...


"Lado a lado para lado nenhum..." 

Ela caminha, com passos lentos, de olhar perdido. 
Caminha cabisbaixa, não lhe apetece sorrir. 
Senão vir ninguém, ninguém a verá! Só precisa de chegar ao hotel. 
Se não olhar ninguém perceberá! 
Doem-lhe os pés! Esteve muitas horas “em cima” daqueles saltos! 
Enquanto caminha uma estranha sensação se apodera de si. Um arrepio “percorre-lhe a medula” e, de soslaio, olha para o lado! 
Uns “passos” caminham agora com ela. Lentos, encadeados nos seus. Tem a leve sensação que o seu dono os força a ser mais pequenos para a poder acompanhar. 
De soslaio, volta o olhar, levanta a cabeça ligeiramente numa vã tentativa de ver quem “consigo” caminha. Tentativa infrutífera, ele é muito alto. 
Inconscientemente demora os passos. 
Passa o hotel mas não pára, quer ver até onde ele irá. 
Pára em frente à montra de uma loja. Não sabe de que, não quer saber.
Os seus corpos estão reflectidos no espelho da montra. 
Os seus olhos encontram-se! 
Ela sabe que não é bonita, mas o olhar dele, por breves momentos, fá-la acreditar que sim, que é! Olham-se, por segundos, minutos, nem sabe…
Caminha de volta ao hotel, sempre com aqueles passos a acompanhá-la. 
Doem-lhe os pés! 
Num impulso tira as botas e caminha descalça. Ele tira os sapatos e caminha com ela! 
Pára junto à porta, hesita. Ele também. Entra, dirige-se aos elevadores e entra num deles. Ele também! 
Sorriem! As suas mãos “encontram-se” nos botões do elevador! Tocam-se, ligeiramente, quando carregam, os dois no mesmo número de andar. Um tremor percorre-lhe o corpo! Sente que pelo dele também. 
Em silêncio sobem. Ela enche-se de coragem e olha-o nos olhos, é neste momento que se arrepende de ter descalçado as botas… 
Não sorriem apenas se olham! 
O elevador pára, ela sai e ele também. 
Caminham, ainda, lado a lado para o mesmo lugar. Ela pára à porta do quarto e diz-lhe: 
- Acho que a nossa “história” termina aqui!
- Só porque tu queres! – Responde-lhe ele. 
Ela entra, fecha, a porta e ainda o ouve dizer: 
- Eu estou no número … 
Não lhe interessa. Não irá! 
Dorme mal. Não consegue dormir, aquela frase não lhe sai do pensamento – “só porque tu queres”. 
Na manhã seguinte quando faz o “check-out” o recepcionista, com ar cúmplice, entrega-lhe um envelope. 
O que lê “arranca-lhe” uma sonora gargalhada… 
“Obrigado por me teres proporcionado a melhor noite de insónia de toda a minha vida!!” Rui M. 

Afinal sempre “estiveram juntos”… 




Green Eyes Janeiro de 2009

2010/04/22

Nem Sei Bem Que Título Dar A "Isto"...


Lá estava eu a ler o meu livrinho, enquanto fazia aquela viagem (Lisboa-Porto) de comboio. 
De repente o rapaz que estava sentado no lugar ao lado do meu diz: 

– Então você é que é a Green Eyes (disse mesmo o meu nome)! 
Com ar de espanto, olhei para o rapaz pensando – como é possível ele conhecer-me?! – Não me parece que o conheça, eu não esqueceria um rosto destes…

– Sim, parece que sou mesmo eu! (respondi com um sorriso exagerado para disfarçar o nervosismo) 

– E trabalha no “XPTO”! (disse mesmo o nome do Organismo)

Aiiiii… ai, ai… será que é suposto eu o conhecer? 
Nããã… 
Não acredito… se me tivesse esquecido de que conhecia um rapaz assim era sinal de que estou mesmo muito mal… 
Hum… 
Ai, um arrepio de medo percorreu-me o corpo… será que é médium, ou qualquer coisa do género e consegue ler a mente, os pensamentos, das pessoas??!! 
Credo!! 
Será que “leu” os pensamentos que dispersavam na minha mente até à bem pouco tempo?!
Pois… o livrinho a maior parte do tempo serve para disfarçar os meus devaneios… 
Que vergonha…

A medo olhei para ele e arrisquei a pergunta: 

– Consegue adivinhar essas coisas, ou nós conhecemo-nos? 
(de tão envergonhada que estava sentia o rosto queimar, deixei de ver, de ouvir, até o simples inspira/expira me estava a custar coordenar… Aposto que naquele momento a cor do meu rosto era a felicidade de qualquer benfiquista de tão quente que o sentia…) 
O rapaz deu uma gargalhada (lindo… ainda me senti mais minúscula do que já sou…) e disse: 

– Nem uma coisa nem outra, simplesmente li o cartão de identificação que traz pregado no vestido! 

Que vergonha… além de andar a fazer figura de totó, de cartão de identificação ao peito qual animal doméstico, ainda fiz aquela pergunta idiota… 
 Valeu-me ele (e já agora eu também) ter sentido de humor! 


2010/04/21

Serei A Capuchinho Vermelho Ou A Avozinha?!


Que dilema…

Este dilema surgiu-me porque tenho um comentador, cujos comentários eu não publico dado o seu teor erótico/pornográfico*, que se assina como:
Quero-te comer!


Há gente com muita pouca imaginação... Não há??!!



* Não publico, os comentários, não por excesso de pudor, mas sim por serem completamente desadequados quer aos textos quer à minha pessoa.
(como já por cá andas há muito tempo, se quiseres desistir... está à vontade... não te prives... não te quero desapontar mas ainda não faço parte da cadeia alimentar ;))

Gosto dos...



elogios que o meu colega me faz...


mas não gosto dele...

2010/04/19

Os Teus Lábios!

Dreaming Nudes - Alfred Gockel
Desejo sentir os teus lábios!
Quero a carícia que deles emana!
Senti-los ao de leve, como se de uma brisa suave se tratasse;
Como se fossem a corrente de um rio e o meu corpo o seu leito!
Sussurra-me as carícias ao ouvido!
Desce, lenta e delicadamente, pelo meu pescoço;
Roçando-o ao de leve, entranhando a paixão, até ao arrepio!
Leva-me o suspiro!
Arrebata-me!
Deixa-me ficar entre dois mundos!
Quero sentir o desejo;
O prazer;
A loucura;
Os teus lábios envolvidos nos meus...


Quero um beijo!


O Teu Beijo!

Sem Sentido 
Green Eyes

2010/04/18

Pinceladas da Vida e Encontro Bloguista!


Em 5 dias e 4 noites brinquei com a vida… 
Ri, chorei, amei, senti medo, senti um “arrepio na espinha”, fui o "centro das atenções", "estive na sombra", senti-me criança, senti-me mulher, perdi-me num olhar, encontrei-me no meu… 

Destes dias há coisas que ficam apenas comigo; outras que quero partilhar convosco. 
Uma delas é o meu 1º encontro bloguista. 
Foi com a Nina e o seu rebento. 
Adorei! Adorei conhecê-los “in loco”! 
Quando cheguei ao pé da Nina adorei o “ar de espanto” dela, não me pareceu que pela negativa! 
Eu reconheci-a à primeira vista! Apesar de nunca a ter visto, reconheci-lhe o sorriso da foto do blogue (se bem que é bem mais linda ao vivo)
O Diogo (o rebento da Nina) fui-o conquistando, mas também não foi difícil, usei a minha táctica do “não estou nem aí” e ele foi-se aproximando. Depois até foi comigo ao “engate”! (realmente confirma-se aquilo que algumas pessoas dizem – há homens que não resistem a uma mulher com um rebento) 
Senti o coração apertadinho quando nos despedimos. O Diogo tinha um ar tão tristinho!  Partilhamos, em tão pouco tempo, tanta coisa. Senti-me tão linda e especial quando ele me disse - "és a mais linda da munda"!
Com a Nina é mais fácil sempre podemos conversar através das tecnologias. 
Outra das tais coisas que me apetece partilhar é o encontro com a Solita (minha prima). Por falta de tempo, da minha parte, foi um encontro pequenino...
Fomos a um concerto (nós e mais uns quantos…)
Adoramos! As duas juntas é risada na certa, ou não fossemos, nós, umas palhaças! (Sabes, o Rui ainda hoje comenta os nossos "apartes"...)
No concerto até tive direito a dedicatória musical e tudo!

Enfim… foram mais uns dias (banais) na vida de Green Eyes!

2010/04/16

Apaixonar-me?!



Não tenho tempo...

Fica para a próxima...

Faz o que eu faço...

Provoca-me!!!

2010/04/13

(3) Na Vida Aprendi Que...



“Se a vida brinca comigo porque não posso eu brincar com ela?"



Porque, nestas coisas da brincadeira, há sempre um lado que é o mais forte;  

Lado esse que não convém provocar… 

Não vá esse lado mais forte nos tramar!

Fica difícil não o fazer se o lado mais fraco gosta é de brincar...



Legenda:
           Lado mais forte = Vida
           Lado mais fraco = Green Eyes
          Tramar = ... Tramar
Pista de leitura:
           Nem tudo o que parece é...

2010/04/12

Devaneios!

Foto - Van 

Ela gosta de se sentar naquele banco!
Senta-se e espera!
Espera e espera… 
Espera algo ou alguém que nunca vem! 
Espera e pensa:

Um dia faço uma loucura

Repensa e contrapõe:

Se fizer uma loucura depois arrependo-me, afinal posso perder tudo

Repensa e conclui:

Perder o quê? Afinal nada tenho!!

2010/04/11

Eu Não Teria Tanta Certeza...


Estava a ver uma reportagem num dos canais de TV, não me lembro qual, sobre a manifestação contra as touradas, quando a certa altura uma das entrevistadas diz: 

"(...) Infelizmente o Homem consegue amar o cão
e não ama uma vaca(...)" 

Lamento discordar, neste ponto, com a senhora ... 
É que apesar de eu ser (aparentemente) mais nova do que a entrevistada, tenho cá para mim que há por aí (infelizmente) muita vaca a ser amada... ;)

Imagem - Stephanie Stouffer

2010/04/10

De/Para A Aninhas!


Ora cá está mais um selito, desta vez a Aninhas voltou a lembrar-se de “Moi-même”. 
O Blog da Aninhas é um dos muitos que gosto de ler. 
De vez em quando tem umas “tiradas” que me fazem rir, outras fazem-me pensar que afinal também há outras pessoas que pensam nos mesmo problemas que eu. 
Gosto da forma como escreve! 

Eu, como é habitual, vou postar aqui o selito tal como ele é, mas, como sabem, não vou cumprir as regras todas, só estas duas… 

Regras:
Enumerar 3 sonhos;
Enumerar 3 pecados/tentações;
 
3 Sonhos:
  1. Deixar de sonhar! 
  2. Encontrar a minha casa de sonho! 
  3. Ir ao Butão! 
3 Pecados/Tentações:

Como eu com os pecados não me dou lá muito bem, sou imediatamente castigada, vou falar de tentações…
  1. A tentação, terrível, que tenho de, quando ligo o portátil para trabalhar, ir, sempre, antes jogar “Lucky Letters” e “Dynomite”… 
  2. De tentar perceber o que não é possível perceber… 
  3. De provocar algumas pessoas…


Fim… 



(nunca passo os selos por duas razões... 1ª porque todos os que eu "persigo" são os que gosto, quando deixo de gostar "desligo-me" e como são muitos era incapaz de escolher; 2ª porque odeio ser rejeitada, se alguém não o aceitasse...)

2010/04/09

Um Dia Irei Perceber…



Porque é que há pessoas que compram um “BMW” todo “XPTO” e depois andam em vias rápidas a 30km/hora???? !!!!

Tenho cá para mim que poderiam comprar um tractor… aposto que fazia o mesmo efeito ou quiçá melhor…

Se não vejamos:

  • Em dias de sol até faria melhor efeito… passa bem por descapotável ;)
  • Bem puxadinho até consegue dar uns 50km/hora…

Juro que até me pareceu ouvir o motor a pedir: “por favor puxa por mim… vá lá faz uma loucura e mete a 3ª…

2010/04/08

E Se De Repente…



Você for a andar na rua (leia-se passeio…) e vier em sua direcção um homem (os senhores se preferirem podem ler uma mulher…), bastante agradável à vista, “munido” de um ramo de flores, super sorridente, a dizer “olá, olá”…

Não liguem…
Não se entusiasmem…
Não fiquem a pensar que “ganharam o dia”…
Não pensem que “é Impulse”…
(…)

É que há 99,999…% de hipótese de haver outra pessoa atrás de vocês…


Detesto “publicidade enganosa”…

2010/04/07

Ai Se Eu Pudesse Parar o Tempo...



Há momentos tão perfeitos que se Eu pudesse nunca acabariam...

Como seria bom se Eu pudesse parar o tempo!
 
Ficar no momento perfeito até não me apetecer mais...

Como Eu queria poder fazer um "rewind" desse momento...

Mas não faz mal...
Eu não me importo...

After all... tomorrow is another day...



(Houve uma hora da manhã de hoje que foi... PERFEITA!!)

2010/04/05

O Pecado da Luxúria!!!


aqui falei sobre o pecado da vaidade e hoje apetece-me falar sobre o Pecado da Luxúria
Aquele pecado que nos impele à sensualidade, à lascívia, à volúpia, à libidinosidade e a outras coisas assim do género a que algumas pessoas apelidam de Pecados
Hum… na volta até que têm razão se não vejamos:

Green Eyes vai toda “pimpona” pelo passeio fora quando vê, do outro lado da rua, um rapaz e fica “encantada”!
Estranhamente, para quem conhece Green Eyes, assim à 1ª vista o rapaz chamou-lhe a atenção!
Moreno de olhos claros (devido à distância Green Eyes não consegue definir a cor) com um sorriso encantador (isso mesmo que estão a pensar… o rapaz estava a sorrir para Green Eyes…) e… enfim… um Ser aparentemente perfeito!
Green Eyes olha para rapaz assim de soslaio… rapaz olha para Green Eyes também de soslaio…
Green Eyes resolve “fazer charme”, ginga o andar ainda mais do que o costume (se é que é possível…), bate a pestana lentamente, passa a língua pelos lábios lentamente, a mão direita “empurra” a madeixa de cabelo para trás da orelha lentamente como se a acariciasse, inclina a cabeça ligeiramente para o lado como se estivesse envergonhada…
O rapaz do outro lado da rua, agora já quase paralelamente a Green Eyes, abana os braços e sorri…
Green Eyes pensa – “que querido, está a acenar-me… mas também podia ser menos efusivo…” – o rapaz agora abana mais rapidamente os braços.
Green Eyes continua a sorrir-lhe sem desviar o olhar… afinal não é todos os dias que um “Adónis” lhe sorri!!
Não é todos os dias que ela consegue ser tão sensual e “catrapiscar” assim um “jeitoso” tão repentinamente…
De repente Green Eyes percebe, da pior forma possível, o porquê de o rapaz lhe acenar tão efusivamente… bateu contra um candeeiro público…
Estava tão envolvida na sua nuvem de luxúria que nem se apercebeu de que o candeeiro ali estava!

Pois… se calhar é mesmo pecado e Green Eyes, que não é mulher de ficar à espera, levou, logo ali, o castigo…
Não sei o que lhe dói mais… se a cabeça devido à pancada, se a alma devido à vergonha…
É que o rapaz resolveu vir dar apoio a Green Eyes que apenas pedia, mentalmente – “vai-te embora, desaparece, ou eu morro aqui de vergonha…”!!