2009/09/30

E Foi Assim…







O momento perfeito!

A pessoa perfeita!

O cenário perfeito!




Mas…




Os nossos “tempos” estão errados!

 

2009/09/28

Abraço, palavra tão fácil, gesto tão difícil…



Madame Solita e Mister Lion ofereceram-me um “Abraço”.
Primeiro apraz-me dizer que gostei muito, até porque acredito que é mesmo com vontade que o fazem.


Este abraço traz algo apenso, nada de complicado, apenas umas perguntinhas…

  1. Quem mais gostas de abraçar, no presente: Hum… A mim própria.
  2. Quem nunca abraçarias: Uma pessoa que não quisesse o meu abraço.
  3. A quem davas tudo para poder abraçar: “Dar tudo” é muita coisa, mas gostaria de abraçar alguém que está longe.
  4. A quem davas o teu melhor abraço: A quem o merece-se.

Um abraço, para mim, não é apenas um gesto de cingir com os braços, mas sim o que ele representa, o sentimento que com ele vem.


E como eu continuo a recusar-me a passar estes “desafios”, mimos e afins (apenas e só por uma razão que já conhecem) abraço-vos a todos (aos que quiserem obviamente).


2009/09/25

Eu deveria…




Pois deveria…

É o que todos esperam!

É o que é suposto eu fazer!

Agir como sempre querem!

Não defraudar expectativas!

Não os desiludir!

Satisfazer-lhes as vontades!


Mas não me apetece…


E hoje, só hoje farei o que me apetece!

2009/09/16

Caminhando À Chuva!





Saio de casa um sol, meio envergonhado é certo, mas ainda assim um sol acolhedor.
Quando chego ao meu destino, não o final apenas o de hoje, o sol estava radioso, nada fazia prever a chuva que aí viria!
Lá fui eu para uma reunião e, passadas duas horas, quando saí uma chuvinha miudinha começava a “dar um ar da sua graça”!
Como não era nada de especial resolvi ir na mesma até ao carro que estava estacionado um pouco longe dali.
Enquanto caminho os meus pensamentos “atropelam-se” na tentativa de se evidenciarem, todos querem a minha atenção. 
De repente, a meio do caminho, a chuva miudinha dá lugar a uma mais forte. As pessoas apressam-se a se proteger dela. Enfiam-se debaixo dos toldos das lojas, nas soleiras das portas, nos cafés, nas lojas e até nas paragens de autocarro.
Eu, numa tentativa desesperada que a chuva me pudesse levar todos aqueles pensamentos, as dúvidas, as angústias, as ânsias, que me assolavam desde há algum tempo, deixo-me continuar à chuva! As pessoas olham para mim com ar inquiridor. Quererão elas saber porque não me resguardo, ou pensam, apenas, que sou mais uma louca que caminha à chuva?
Não me importo! Não quero saber das gotas de água que sobre mim caem!
Tiro os óculos, estão cheios de gotas de água o que me incomoda. Prefiro não os ver, a eles, àqueles cujos rostos me inquirem. Sem os óculos continuo a vê-los mas de forma diferente. Os seus rostos são agora “massas disformes”, indistintos!
Continuo à chuva!
Quando chego ao carro entro, sento-me e encosto a cabeça no banco. Deixo os pensamentos correrem, quero perceber se se foram, se mudaram!
Nada! Vã tentativa, tudo igual! Continuam em turbilhão!

Bem tudo igual não é bem assim, há coisas que estão diferentes… o meu cabelo, as minhas roupas e a maquilhagem que ficaram com um “ar deslavado”!

2009/09/14

A Red Card To...

A Solita (que é um doce de pessoa e linda, ou não fosse ela da minha família…) e o Sr. Mokas (eu acho que o “Green Eyes” que lá estava era eu, mas com ele nunca sei… um dia sou no outro já não…) desafiaram-me.

Eu explico, querem eles que eu atribua “cartões vermelhos” a 10 situações/coisas, pelo menos eu assim o entendi.

Então sem enumerar porque assim é mais fácil e porque não vou passar o desafio a ninguém (podiam recusar e eu, de momento, não estou preparada, psicologicamente, para a rejeição).

Atribuo “cartão vermelho”:
  • À falta de educação;
  • Aos “cravas”, aqueles que me pedem dinheiro emprestado e nunca o devolvem, a mim por ser tão idiota que continuo a emprestar; 
  • Aos que apenas sabem que existo quando isso lhes convém, a mim porque me deixo “endrominar”; 
  • Aos que desprezam quem deles necessita, a mim por os não penalizar (aos que desprezam obviamente) ainda que o pudesse fazer, mas sabe-se lá porquê desculpo-os sempre; 
  • Aos dias cinzentos;
  • Ao amarelo quando em conjunto com o rosa choque;
  • À música dos ABBA, devo ser a única pessoa que já não os pode ouvir, se bem que nunca fui fã;
  • Aos dias em que não controlo a minha timidez e deixo passar as oportunidades;
  • Aos carros em segunda fila, eu sei que já aqui o tinha dito, mas detesto mesmo;
  • Aos incompetentes, não que o sejam por incapacidade mas por falta de vontade;
  • Aos arrogantes;
  • Aos maldizentes;
  • Aos invejosos;
  • Aos…

Ups, entusiasmei-me! Deve ser do meu estado de espírito por estes dias… 
Apre que me apetece mesmo bater em alguém!

2009/09/09

Hum… Acho que me confundi!!


Hoje, um dia cheio de trabalho, daqueles complicados porque houve muito que fazer, ainda que nada de transcendental, quase nem houve tempo para tomar um café!
Ora eu e o café somos inseparáveis. Se me dói a cabeça – tomo café para me aliviar a dor; se estou “em baixo” – tomo para me animar; se estou agitada – tomo para me acalmar; em suma tudo me serve de desculpa para tomar café!
Então, e no seguimento destas conclusões, fui ao fim do dia tomar um cafezinho.
Como o café (estabelecimento) estava cheio, tive de o tomar ao balcão. Situação que não me é nada agradável! Não fosse eu estar com muita vontade de tomar o café e teria desistido, pois até o balcão estava “apinhado”!
Após tomar o café, e por entre dezenas de pensamentos, peguei na carteira para pagar, aguardando sorridente porque entretanto o empregado estava a trazer o troco ao rapaz que estava ao meu lado.
Peguei no troco e saí.
Os olhares do empregado e do rapaz deixaram-me, ligeiramente, confusa! Por não entender porque olharam eles assim para mim, vim até ao carro a pensar – “será que tenho algo estranho na cara?”.
Ao abrir a porta do carro o clique que o som da chave fez provocou em mim um outro clique – “credo… por isso eles olhavam assim para mim!”.
Voltei a correr, literalmente, para o café ainda a tempo de devolver o troco.

Obviamente que já perceberam o que eu fiz. Peguei no troco do rapaz antes mesmo de tentar pagar!!!
Desfeito o “engano” e depois de a cor da minha cara voltar ao normal, ainda nos rimos. É claro que o empregado já me conhece e também não é a primeira vez que saio sem pagar e depois tenho de lá voltar.

Mas o rapaz… Bem, esse ficou a conhecer…

O que uma mulher não faz para que um homem “repare” nela!
Eheheheheh

2009/09/08

Tenho de perder a mania de...

Ser simpática, prestável e blá blá!

 
Como se costuma dizer - "não se lhes pode dar um dedo, querem logo o braço".

Ora, no meu caso é mesmo - "não se lhes pode dar o braço, querem logo o corpo inteiro"!

2009/09/02

Hoje Senti Vontade de…


  • Receber um beijo na ponta do nariz
  • Receber flores
  • Receber cartas de amor
  • Receber postais
  • De sair para ir dançar
  • De conversar sem sentido
  • De estar em silêncio sem ser constrangedor
  • De viajar sem destino
  • De ouvir aquela palavra sussurrada ao ouvido
  • De andar de mão dada
  • De andar à chuva
  • De atropelar sapos

Valeu-me o facto de ter muito que fazer…

Passou-me logo a vontade!