2009/06/25

O Pecado da Vaidade!!!


Ontem tive de ir a uma “vernissage”!
Sim tive de ir, normalmente declino este género de convites. Gosto de estar no meu “canto” e a “sociality” não me atrai, já me basta profissionalmente todos aqueles "compromissos".
Mas ontem não deu para “escapar”, teve mesmo de ser.
Então lá fui, no final de um dia de trabalho, a casa “num saltinho” produzir-me para o evento.
Depois de um duche escolhi uma “lingerie” vermelha, dá-me segurança(não que estivesse a pensar exibi-la, são manias minhas...), um vestido túnica em tons de preto e laranja e umas botas pretas.
Envolvi-me em perfume, gosto de o borrifar de longe, sentir as gotículas a caírem levemente na pele, vê-las misturarem-se com os restos das gotas da água do duche, que repousam na minha pele.
Maquilhei-me, os traços de cinza prata delineando os olhos, desenhei, devagar, com os pincéis os tons de castanho, em "degradê", nas minhas pálpebras, apliquei o rímel e rapidamente um pouco de pó nacarado no decote.
Vesti-me e senti-me perfeita.
Pronta para enfrentar “as feras”!
Enquanto conduzia em direcção ao evento sentia-me mesmo bem, perfeita, linda.
Abri a janela do carro deixando entrar a brisa suave que se fazia sentir!
De tão “encantada” nem me apercebi que estava quase a chegar, não fosse a fila de carros e até era capaz de continuar a conduzir.
Talvez fosse ter “contigo”, mostrar-te como estava bonita, seduzir-te!
Mas a fila chamou-me para a realidade, lentamente íamos andando e pensei cá para comigo – “não entendo, ali um espaço enorme e ninguém avança, que totós!”. Sempre que avançavam carros todos deixavam aquele espaço, obviamente que eu quando cheguei àquele local não deixei, avancei enquanto pensava – “disparate, não percebo porque fica aqui um espaço em vazio…”.
De repente… “Splash”, uma “mangueirada” de água entra-me pela janela adentro!
Lá se foi a minha produção…
A maquilhagem completamente arruinada, o cabelo escorria água, o vestido dava para torcer, tal foi o volume de água que entrou pela janela!
Fónix, agora percebo porque ninguém parava ali!
Mania de regarem a rua em vez dos jardins…
Apenas tive tempo de “dar meia-volta”, fazer que não via o riso dos outros condutores e ir rapidamente a casa mudar de traje!
Obviamente que a produção foi assim uma coisa mais simples, mas até que me diverti quando relembrei a cena, mais tarde, com alguns dos convivas.

Vês o que tu me fazes???
Vaidade maldita ;)