2009/06/29

Música Para Mim??!!


SMS do A – Liga depressa na rádio…!
Green Eyes – Eu?! Como assim?

O A liga-me eu atendo, obviamente:

Green Eyes – Diz.
A – Liga na rádio... rápido, sintoniza na frequência…
Green Eyes – Mas que se passa?
A – Liga estão a falar de ti!
Green Eyes – Jura…

De mãos a tremer, pensei logo que estavam a falar de mim profissionalmente, lá sintonizei a “coisa” e oiço um locutor com uma voz assim para o fanhoso e sotaque carregadíssimo do “nourte” a dizer qualquer coisa parecida com isto:
– (…) Então aqui o nosso amigo que quer continuar no anonimato dedica-lhe esta música…

Entretanto do outro lado do telemóvel o A ria-se sem parar e dizia-me:
– Coitada de ti que cromo que ele deve ser, devias ter ouvido o início identificou-te, era com cada elogio, toda a gente vai ouvir!

Green Eyes – Parvo! Será que me vai dedicar uma música daquelas pirosas? – Perguntei ao A já sem ouvir o resto da conversa do locutor.
Apenas percebi que dizia que ele, o anónimo, era da cidade qualquer coisa.

Então lá saiu a música que por acaso até conheço e nem desgosto!
Ufa pelo menos isso!
E ufa que isto é uma rádio local!
E ufa que anónimo é anónimo e fiquei na mesma!
Ah, a música não sei o nome mas diz qualquer coisa do género “If I Can’t Have You I Don’t Want Nobody Baby” e é uma versão house.

Mas, não sei porquê, acho que não devia ser para mim…
Deve ser treta do A!!



2009/06/25

O Pecado da Vaidade!!!


Ontem tive de ir a uma “vernissage”!
Sim tive de ir, normalmente declino este género de convites. Gosto de estar no meu “canto” e a “sociality” não me atrai, já me basta profissionalmente todos aqueles "compromissos".
Mas ontem não deu para “escapar”, teve mesmo de ser.
Então lá fui, no final de um dia de trabalho, a casa “num saltinho” produzir-me para o evento.
Depois de um duche escolhi uma “lingerie” vermelha, dá-me segurança(não que estivesse a pensar exibi-la, são manias minhas...), um vestido túnica em tons de preto e laranja e umas botas pretas.
Envolvi-me em perfume, gosto de o borrifar de longe, sentir as gotículas a caírem levemente na pele, vê-las misturarem-se com os restos das gotas da água do duche, que repousam na minha pele.
Maquilhei-me, os traços de cinza prata delineando os olhos, desenhei, devagar, com os pincéis os tons de castanho, em "degradê", nas minhas pálpebras, apliquei o rímel e rapidamente um pouco de pó nacarado no decote.
Vesti-me e senti-me perfeita.
Pronta para enfrentar “as feras”!
Enquanto conduzia em direcção ao evento sentia-me mesmo bem, perfeita, linda.
Abri a janela do carro deixando entrar a brisa suave que se fazia sentir!
De tão “encantada” nem me apercebi que estava quase a chegar, não fosse a fila de carros e até era capaz de continuar a conduzir.
Talvez fosse ter “contigo”, mostrar-te como estava bonita, seduzir-te!
Mas a fila chamou-me para a realidade, lentamente íamos andando e pensei cá para comigo – “não entendo, ali um espaço enorme e ninguém avança, que totós!”. Sempre que avançavam carros todos deixavam aquele espaço, obviamente que eu quando cheguei àquele local não deixei, avancei enquanto pensava – “disparate, não percebo porque fica aqui um espaço em vazio…”.
De repente… “Splash”, uma “mangueirada” de água entra-me pela janela adentro!
Lá se foi a minha produção…
A maquilhagem completamente arruinada, o cabelo escorria água, o vestido dava para torcer, tal foi o volume de água que entrou pela janela!
Fónix, agora percebo porque ninguém parava ali!
Mania de regarem a rua em vez dos jardins…
Apenas tive tempo de “dar meia-volta”, fazer que não via o riso dos outros condutores e ir rapidamente a casa mudar de traje!
Obviamente que a produção foi assim uma coisa mais simples, mas até que me diverti quando relembrei a cena, mais tarde, com alguns dos convivas.

Vês o que tu me fazes???
Vaidade maldita ;)

2009/06/21

São Só Umas Sugestões em Alternativa Aos Chocolates!!!


A sério, não pensem que estou a pedir…
“Longe de mim”!
Mas estou a ficar, ligeiramente, cansada de receber sempre as mesmas coisas…
Chocolates!
Eu até gosto mas como poucos e cá em casa mais ninguém come, por isso se não se importam preferia:

– Um perfume, o meu “Miracle Forever” está a acabar, também pode ser o “Attraction”, são os dois da “Lancôme”.


– Os livros do Stieg Larsson – “Os Homens que Odeiam as Mulheres”, “A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo” e “A Rainha no Palácio das Correntes de Ar”!

Agradecida :)

P.S. - Não faço anos, recebo é muitos chocolates!

2009/06/18

Queres Jogar Comigo?


Pois é… Ele voltou!
Para quem não se lembra, quem não leu, ele é alguém que me disse – “Tu tens é a mania que és boa!” mas que fazia mais de 100km só para tomar café comigo.
Obviamente que teve resposta!
Então o P. resolveu aparecer de novo e convidar-me para tomarmos um café!

Ora o jogo, para quem quiser jogar comigo (quem não quiser depois não se queixe do que lhe vai acontecer...), consiste em “adivinhar” o que aconteceu…

a) Aceitei, afinal fazer mais de 100km (só vinda) para tomar um café deve ser recompensado!
b) Recusei obviamente, para “cromo” já basto eu…
c) Aceitei e depois até fomos jantar. Eu não resisto a “olhinhos de carneiro mal morto”.
d) Aceitei e depois ele disse-me – “olha afinal já não me apetece”!
e) Aceitei e “apanhei uma seca” porque ele queria era contar-me da nova namorada!
f) Aceitei mas com a condição de ele me comprar uma jóia, e ele comprou!
g) Recusei e disse-lhe – “cada vez tenho mais mania”!
h) Recusei, dei-lhe um beijo e mandei-o “morrer longe”!
i) Aceite o café mas recusei as flores!
j) Aceitei e convidei todos os colegas para irem connosco!
k) Aceitei até porque queria perceber o que o faz fazer estes quilómetros todos, se eu se o café…
l) Nem respondi!
m) Não foi nenhuma destas, mas tenho vergonha de contar!

2009/06/16

Conversa com Galinhas e Perus!

One Hundred Chickens and a Worm - Kevin Whitlark

Não, não estou a falar dessa espécie de galinhas e perus, é dos animais, das aves mesmo!
Pois é, aqui a Green Eyes ficou a tomar conta da “quintarola” sozinha!
Pronto, tá bem, não de tudo, dos animais e de dois ou três jardins.
Depois de uma aula, daquelas de formação intensiva, aqui com o Pai, lá o descansei dizendo-lhe que era fácil, que não se preocupasse!
E até que nem é difícil depois de perceber como “funcionam” os animais!

Primeiro dia: 7h30 da manhã (nem para ir para o trabalho eu me levanto a esta hora).
Estava um dia de calor que não se aguentava (tal como hoje) por isso resolvi ir de t-shirt, boxers e havaianas tratar dos animais, as galinhas, os perus, os coelhitos e a cadela, se bem que esta não dá trabalhinho nenhum apenas quer mimo!
A primeira indecisão foi – por onde começar? Hum… Acho que pelos perus, parecia-me o menos complicado. Era só abrir uma porta, a do dormitório, e levá-los para a cerca. Apenas tinha que os orientar num caminho de cerca de 30m, não é muito mas pareceu-me mais de 300m. Primeiro os “emproados” não saíam, olhavam-me de penas eriçadas, tipo pavão, mas não se mexiam! Lá consegui, depois de os “cutucar” com uma vara, que saíssem mas não havia forma de os fazer ir para a cerca. Em desespero de causa resmunguei qualquer coisa do género – “Vá lá façam-me o favor de andar!”. Levantaram as cabeças e emitiram um som qualquer como que a responder-me. Percebi que eles reagiam à minha voz. Comecei a despejar frases idiotas do tipo – “vamos amiguinhos sigam-me, venham vamos para o parque, e blá, blá”. Fiz figura parva mas eles lá entraram e eu suspirei de alívio!
Segunda etapa coelhitos. Estes não eram complicados, são uns amores e já estão habituados a mim. Várias vezes tenho de os pentear e cortar-lhes as “rastas”!
Etapa final as galinhas, eu odeio galinhas, são tão idiotas, lembram-me mesmo certos seres humanos, ou será o contrário?
Balde de paparoca na mão e vai de entrar no galinheiro! Pareciam histéricas, todas aos saltos e a cacarejar de forma contínua. Nem me deixaram deitar-lhes de comer! “Saltaram” às bicadas nas minhas pernas de forma completamente alucinada!
– Pára estúpida isso é um sinal, não é comida! Idiota não me comas a celulite toda, faz-me falta!
Ao fim de muitos gritos e bicadas ficaram a olhar para mim, de uma forma extremamente calma e desistiram.
Não consegui perceber muito bem, mas desconfio que não gostaram das minhas pernas, ou seria da roupa?
Hoje obviamente que já não fui com o mesmo “outfit”, levei umas calças!

Ah e não pensem que estou a ficar doida, é que conversar com galinhas, apesar de super estúpidas, e perus até foi mais fácil do que com certos seres humanos que por aí circulam!

2009/06/15

Oh Não... Nunca mais acaba??!!


Sinto-me a correr os 100m barreiras!
Aliás até estou desconfiada de que me “enfiaram” nos 110m barreiras e que em vez de 10 barreiras estão 20!
Ok, eu confesso que, apesar de estar desde o início da semana passada “em prova”, apenas consegui ultrapassar duas barreiras!
Mas é que eu não gosto de correr…
Sinto-me como uma gelatina, daquelas bem “tremelicadas”!
Não que seja gorda mas a idade não perdoa e já por cá anda alguma “massa muscular aos saltinhos".
Mas correr não é o meu forte.
Parece-me que os “airbags” e o “aileron” se vão desintegrar.
Lembro-me, sempre, daqueles filmes em que a “mocinha” corre para o “mocinho”, na praia, para se beijarem, e quando se encontram batem um contra o outro provocando aquelas caras de dor!
Eu vejo um bocadinho mal ao longe mas quase que aposto que, de cada vez que eu ultrapasso uma barreira, há uma “mão invisível” que lá vai por outra e ainda mais alta do que a anterior!
Mas eu sou teimosa e posso não correr mas chego lá! Aprendo bem rapidinho! ;)
Já agora agradeço àqueles que dissimuladamente vão estando ao longo da “minha prova” a tentar pregar-me alguns cambapés…
Só me ajudam!
É que ao escapar dos vossos cambapés mais depressa ultrapasso as barreiras!

2009/06/10

Eu bem que queria ser má, mas...


Sim eu tento!
Digo sempre, para mim, que na próxima vez vingo-me…
Ela é uma pessoa má para comigo. “Extravasa” as relações profissionais e tenta também “destabilizar-me” na vida pessoal!
Eu sei que o faz por influência de outras pessoas, mas mesmo assim…
Obviamente que tenho sempre motivos de sobra para me vingar, profissionalmente, os seu “lapsos” abundam, mas nunca o faço! Lá vou corrigindo, ajudando (para isso sou a sua chefe) e lá vai andando!
Mas um destes dias a situação abalou-me!
Por razões que desconheço e que quero continuar a desconhecer porque em zangas de “amigos” eu não me meto, cheguei e encontrei-a “mergulhada” em lágrimas…
Ora aí estava o momento perfeito!
Era o momento ideal para eu ficar a “assistir de camarote”!
Se há pessoas que eu vejo chorar e até me irritam com as suas “lágrimas de crocodilo”, esta por acaso não, as suas lágrimas são mesmo sentidas…
Lá lhe perguntei então o que se passava e se era algo comigo, não fosse eu ter sido assim um bocadinho para o ríspido em alguma orientação que lhe dei.
Sim eu confesso que em situações de falta de paciência, por exemplo repetir “n” vezes a mesma coisa, ver "n" vezes o mesmo erro, fico ligeiramente irritada!
Até teria razões, muitas mesmo, para sentir indiferença por aquela situação. Se há coisa que eu detesto, abomino, odeio, é que ela (e outras pessoas, sejam elas quem forem, também o façam ) acredite piamente no que a “amiga” lhe diz que eu disse e blá, blá!
É que não se justifica mesmo, ou não fosse eu conhecida por dizer o que penso e nas “trombas” do visado, seja lá quem for!
Mas enfim…
Ora então lá estava ela e eu ali, de pé, ao seu lado! O seu choro compulsivo em vez de me deleitar estava era a ter o efeito contrário! Para me “livrar” da situação perguntei-lhe se havia alguma coisa que quisesse que eu fizesse e a sua resposta deixou-me “knockout”!
Ela – Sim preciso… Dê-me um abraço!
Ora bolas! Como podia eu resistir a este pedido?
Abracei-a!
Eu bem tento…
Eu bem digo a mim mesma que não, que não vou vacilar, que da próxima vez vai ser diferente, que me vou manter indiferente!
Mas esta “coisa” idiota que tenho algures no cérebro faz-me sempre “cair” no mesmo…
Claro que o facto de andar muito (mesmo muito) cansada também me deixa ligeiramente atrofiada das ideias!

2009/06/05

Acabou Antes de Começar!



Como chamar a “algo” que acabou antes de começar?
Sinto a falta do que não chegou a acontecer!
Sinto falta das palavras que me irias dizer e que nunca chegaste a pronunciar!
Aquelas que guardas porque nunca quiseste ou tiveste coragem de exteriorizar!
Guardo, presas na garganta, as respostas a essas palavras!
Sufocam-me!
Não me deixam respirar!
Pergunta-me!
Deixa-me responder-te!
Deixa-me libertar as palavras, as minhas, as tuas!
Preciso que oiças as respostas!
Preciso das perguntas!
Fala comigo!

LX - Junho 2008

2009/06/01

Pergunta Estúpida, Resposta Inteligente! Ou Será o Contrário?



Ela, alguém que não é minha amiga, nem nada que se pareça, apenas vivemos no mesmo “vilarejo” e, parece porque eu não me lembro, que fomos colegas de escola, casou-se!
Ok, até aqui nada de especial pensam vocês.
Enganam-se…
Se eu vos contar que ela concretizou o sonho de toda uma vida, o seu objectivo na vida, provavelmente pensarão de outro modo (ou não)!
Pois é, esse era o seu sonho desde os 16 anos, conta ela.
O que ela sofreu para o conseguir!
Quantos pares de namorados separou… Casamentos até!
Dizem as “más-línguas” que até chantagem, ameaças físicas e raptos ela teve de praticar! Recorreu a Santos, bruxas, promessas e outras que tal…
Mas lá conseguiu “arranjar” uma vítima e vai fazer um mês que se encontra em estado de euforia, sim porque, de acordo com ela, até à saída de Igreja, após o enlace, não arriscou “deitar foguetes”, não fosse o “diabo tecê-las”!
Ora, este estado de euforia leva-a a fazer-me (e provavelmente a outras pessoas também) a mesma pergunta vezes sem conta.

Ela – Então e tu? Quando te casas? Quero ir ao teu casamento.

Hoje e porque já me cansa o “raio” da pergunta respondi-lhe:

– Então e tu? Quando morres? Quero ir ao teu funeral!

Pronto… Pela sua expressão facial e porque eu sou uma crédula, acredito que nunca mais me vai chatear… Acredito até que na próxima vez já não muda de passeio só para me cumprimentar!

Eu não tenho nada contra os casamentos, nem contra as perguntas, muito pelo contrário, mas tantas vezes a mesma pergunta cansa-me…