2009/05/12

A Tristeza…

Salvador Dali


Eu não tenho por hábito escrever, aqui, a esta hora da manhã (se bem que já não é muito cedo…), mas hoje APETECEU-ME!
Na continuação do texto anterior, apeteceu-me dizer qualquer coisa, por isso…

Porque é que achamos mal sentirmo-nos tristes?
Não é a tristeza um sentimento igual aos outros?
Não tem ela, a tristeza, direito a existir, de vez em quando, nos nossos corações?
Não nos faz ela falta para nos conhecermos?

Eu tenho momentos de tristeza com os quais me sinto bem!
Estranho?
Nem por isso…
Estes momentos fazem-se pensar…

E desta vez pensei em tudo o que faço, o que sou…

A razão da minha tristeza é uma “coisa minha” obviamente!
“Falar” dela alivia-a?
Nem por isso.
Se eu sei porque me sinto triste?
Não…
Mas desconfio…
Se alguém pode mudar isso?
Sim… Poder até podia… Bastava “desfazer” o que fez…

Enfim… (Ultimamente esta palavra está a retirar o lugar de destaque que tinha o obviamente na minha vida…)

Em jeito de rodapé e para quem lhe interessar saber – EU ESTOU BEM!