2009/03/05

À Luz das Velas, ao Som de “Cool Jazz” e com cheiro a Canela!



Cheguei mesmo em cima da hora marcada!
“À tangente” tudo bem, mas atrasada nestas e noutras situações, não gosto de chegar!
Dei-lhe um “boa-tarde” rápido, nem vi bem como era o seu rosto. Percebi-lhe um sorriso e disse-me com voz “melodiosa” – “pode entrar e despir-se”.
Entrei na sala, naquela penumbra pouco vi, apenas onde colocar a minha roupa e onde me deitar!
Ele entrou – “deite-se de barriguinha para baixo que eu já venho”. O facto de ele se referir ao meu ventre como barriguinha fez-me sorrir, faz-me sempre nem sei bem porquê, efectivamente ela é pequenina!
Cumpri as suas “ordens”.
Quando o senti entrar de novo na sala, levantei, ligeiramente, a cabeça e olhei-o de soslaio, apenas para ver o que fazia mas naquela penumbra não o consegui.
Senti o som do seu isqueiro a acender!
As luzes de umas velas começaram a desenhar sombras nas paredes da sala.
De novo o som do isqueiro e o cheiro a incenso penetrou-me as narinas e invadiu-me o cérebro!
Ligou o som, baixo, suave e disse-me – “Jazz, a J. disse-me que gosta muito e eu optei por colocar…”.
Confesso que não ouvi mais nada.
Todo aquele ambiente já me fez “viajar”!
As chamas das velas a brincar nas paredes da sala, o som (Blue in Green do Miles Davis) que me invadia o cérebro suavemente, aquele cheiro que me acalmava e ao mesmo tempo me despertava!
Esta dualidade de sentidos entonteceu-me!
Senti as suas mãos ao de leve nos tornozelos, subiram ligeiramente pela barriga das pernas, coxas, glúteos, costas, ombros…
De “carícia” leve passaram a movimentos mais firmes, manobras mais elaboradas…
O cheiro a canela e amêndoas invadiu a sala!

Pronto… Confesso é um vício! Adoro massagens e todo o ambiente que as rodeia!


Ah… As minhas costas ficaram muito melhores! Sem doerem :)