2009/02/23

Não Mexa Nas Minhas Aranhas!!!


Tenho uns brincos em forma de aranha.
Não que eu seja fã de aranhas, gosto de vê-las a tecer a teia e a apanharem as presas mas apenas se forem aranhas pequeninas.
Não sou muito de usar brincos, já usei três numa orelha e dois noutra e cansei-me, mas a estes achei piada por serem diferentes!

Mas voltando aos brincos, de vez em quando lá os coloco. Ficam assim como se eu tivesse uma aranha em cada lóbulo da orelha, que modéstia à parte é linda!

Um dia destes fui a Espanha, em serviço, e coloquei-os.
Estávamos lá na “bendita reunião” e eu já a ficar incomodada porque um dos colegas espanhóis olhava para mim fixamente e de sobrolho franzido. Pensava eu – “ui… que terei eu de estranho?” e passava a mão disfarçadamente pelo rosto, não fosse estar uma “catota” por lá perdida! Mas nada… passava a mão no cabelo e enroscava-o atrás da orelha e ele sempre a olhar e cada vez mais fixamente. O olhar era tão estranho que desta vez nem pensei, sim que de outras penso (eheheh), "ui devo ser eu que sou super sexy..."!

Lá continuamos a “bendita reunião” eu, muito a custo, lá tentei me concentrar até porque era uma das principais intervenientes, e o “raio do espanhol” sempre a fixar-me!

Quando acabamos a “bendita reunião” entre cumprimentos e sorrisos vejo o “hombre” vir em direcção a mim olhando-me fixamente! – “Ai credo… que quererá?” – não é exagero, juro-vos, se vissem o olhar de “vou-te matar” do homem perceberiam…

Chega ao pé de mim e diz – “mira se parece que tienes una araña en la oreja” e mal acaba as palavras “espeta-me” um “mosquete”, com a ponta dos dedos, na orelha que ainda hoje me dói…
Como ela, a aranha, não saiu preparou-se para repetir o gesto e eu de lágrima no olho, tal era a dor, tive de o "fintar" baixando a cabeça de repente e barafustando – que eram apenas uns brincos! Claro que com a dor e a atrapalhação não me lembrava da palavra brincos em espanhol e apenas dizia – “no, no, no” o que convenhamos para a restante plateia soava estranho…
A custo lá me lembrei da palavra “pendientes” e ele lá parou…

Bem a minha dor e vergonha só foi superada pelo ar dele, um misto de vergonha, espanto e pedido de desculpas!

Sinceramente já não se pode ser “exótica”!