2009/01/06

Não Me Olhes Nos Olhos!


E agora que faço? - Pergunta-lhe, ele, com um olhar perdido.
Esqueces! – Responde-lhe, ela, rapidamente. A resposta é tão rápida que quase se convence da sua veracidade.
E se eu não conseguir esquecer? – Pergunta-lhe baixinho, enquanto os seus olhos buscam os dela numa vã tentativa de resposta. Tenta buscar nos seus olhos a resposta para todas as suas angústias, todos os seus medos, como se dela saísse a solução de tudo o que o atormenta.
Consegues sim! – As palavras soam-lhe de uma forma estranha. Tem a sensação de que a voz lhe treme.
E ele sempre em busca dos seus olhos!

Que raiva! Não os busques! Não, os olhos não!

Se o olhar nos olhos não conseguirá mentir-lhe mais. Nem ela acredita no que lhe diz.
Na sua mente apenas uma frase – “não me olhes nos olhos, nos olhos não!” – ecoa incessantemente. Alguém lhe disse, um dia, que se repetisse sem cessar as palavras, mentalmente, o que ela desejasse aconteceria.
Mas e se eu não conseguir mesmo? – Insiste ele.
Olha, então aprendes a viver com isso, todos aprendemos! – Responde-lhe de forma abrupta.
Não o faz por ele mas sim por ela, pela raiva que sente de não poder mudar os seus próprios sentimentos. Tudo seria mais simples se pudesse gostar dele...