2008/12/31

Happy New Year! Feliz Ano Novo!


Hoje apetece-me (e há apetites que não se devem refrear…) desejar um Bom Ano de 2009 a todos, até porque eu para ser feliz PRECISO que os outros, também, o sejam !

Todas as “frases feitas” – “feliz ano com muita saúde, paz, alegria, amor e etc. e tal”, são por mim ditas com o sentimento puro de que assim seja! (é evidente que não é para todos… eu também não sou a Madre Teresa de Calcutá ou o Gandhi)

Mas quero desejar-vos um Feliz Ano de 2009!

Agora um bocadinho, deste post, para alguém muito especial (vais perceber que é para ti e, já agora, desta vez podes comentar, mesmo que não seja aqui):
Eu sei que sou uma “chata” mas a nossa amizade é mesmo muito especial para mim. Acredito que entendes isso e que partilhas o mesmo sentimento por mim, por isso e por todo o resto, desejo que 2009 seja mesmo um Ano grandioso e que eu possa partilhar, contigo, as tuas alegrias! (se houver tristezas nessas sabes que podes contar comigo…)Como te disse/escrevi um dia –

“I’m like Mr. Bones, for me friendship is for ever and unconditional”.

So… Peace and Love or Else for everyone!

2008/12/29

Que Estúpido!! Mas até teve piada…


Como toda a gente de vez em quando recebo uns convites para tomar café.
Se há vezes em que aceito, uma escassa minoria, na maioria delas não aceito o “tal cafezinho”!
Umas porque o convite não é oportuno, uma vez que estou no meu local de trabalho; outras porque o convidador não é o “meu género”; outras em que pura e simplesmente não me apetece café.
Normalmente a “carinha” de desapontamento dos convidadores provoca-me um terrível sentimento de remorso!

Bem desta vez a cena foi, sinceramente, “sui generis”!

O convidador chegou com flores (adoro receber flores) e, com um ar “tímido” fez a pergunta.

Convidador – As flores são para ti, queres vir tomar um café?

Green Eyes – Oh! Obrigada, disse pegando nas flores. Hoje não me dá muito jeito ir tomar café, já tenho um compromisso.

Convidador – Então e amanhã? – Ainda de sorriso no rosto.

Green Eyes – aahh… mmmm… é melhor deixarmos o café para outra ocasião…

De repente o moço arranca-me, literalmente, as flores da mão e diz – olha então esquece as flores, levo-as de volta – e saiu porta fora deixando-me de “boca aberta” durante uns segundos até que não aguentei mais o riso e dei uma sonora gargalhada.

Confesso que desta não estava à espera. Ele até tinha um ar tão tímido!

2008/12/26

Era Uma Vez...

Era uma vez…

Era uma vez uma “menina” de olhos verdes e sardas na cara.

Esta “menina”, a quem vamos chamar de Green Eyes, era muito orgulhosa!

Ora nesse belo dia, penso que foi o dia 19-12-2008, alguém (a "chefe Mor") lhe disse que o P.M. tinha dado tolerância de ponto no dia 24 e que também podia escolher, até porque ela (Green Eyes) também era “chefe”, em alternativa, o dia 26 ou o dia 2.

A Green Eyes ficou felicíssima e respondeu:

- Mas para mim só dá o dia 2, é que se você ("chefe Mor") não está cá no dia 26 tenho de estar eu…

- Ah, pois é – respondeu-lhe a "chefe Mor".

Ora foram então dizer à outra “pessoa” (está entre aspas porque… enfim…).
A outra “pessoa” disse logo:

- Eu quero o dia 2, só esse me interessa. (mas antes fez cara de quem não sabe de nada mas que já sabe tudo…)

- Mas a Green Eyes só tem essa alternativa :( - disse a "chefe Mor".

-Então se ela quiser eu faço o favor de vir – respondeu a “pessoa”, eu até nem tenho nada programado mas… (com ar de - "que boazinha que eu sou")

Green Eyes ficou furiosa e respondeu:

- Não preciso dos seus favores… Nem preciso da porcaria da tolerância… Fique lá com os dias que quiser… (muito mau feitio tem a Green Eyes…)

Virou costas e…



“Tramou-se” (hoje até ia bem, aqui, um palavrão…) agora não tem tolerâncias e, tem de andar a “correr” porque tem de fazer mais de 200 km para ir jantar com a família (por quem faria todos os "sacrifícios" e mais algum) e voltar para vir trabalhar!

Raios Partam o Orgulho!!!!

Ou Não…

2008/12/18

Eu também dou "prendas" de Natal!!!

Gostaria que algumas, espera... deixa ver... é todas, fossem mesmo verdadeiras…

Sol:
Como sei que tens falta de espaço lá em casa, muitas coisas, poucos quartos, comprei-te um castelo! Muitos quartos e muitas salas para poderes guardar tudo ;)



Kor:
Para que nunca mais tenhas de andar doente com gripes, laringites e afins, uma Primavera só para ti ;)



Tronxa:
Um avião para poderes ir a Lisboa (eu gosto tanto de ir) e não apanhares as filas do IC19 que tanto odeias ;)

Diabba:
Espero que gostes! (tu és difícil de contentar…) Lembrei-me de uns dias num SPA, para relaxares ;)


Pedro Barata:
Eu sei que já te ofereceram o emprego de jornalista, mas como não era jornalista desportivo eu ofereço-te esse!! Vão também uns bolinhos porque tu és guloso ;)




Dante:
Aqui vai mais uma para juntar à que já tens ;) É para agradecer a música no teu blog ;)


Lion:
A tua tão desejada Leoa! Quem é amiga, quem é?





Para os restantes, aqueles que cá vem de vez em quando, aqueles que visito ("religiosamente" ainda que não comente) e até mesmo para os que vem e não comentam (eu sei…) um Kiss!






The Kiss (Der Kuss) - Gustav Klimt

2008/12/12

Maldita “Menière”!

Se há coisa de que eu não gosto é de estar doente. Detesto mesmo! Mas de vez em quando lá me acontece!

Mas desta vez… Ó Céus!!
Podia ser uma coisinha mais simples, uma gripezita, uma lombalgia, uma cefaleia, uma dor de dentes…
Mas não, tinha de ter uma estúpida de uma doença com um nome pomposo, “Menière”! Mas como diz uma amiga minha eu “nunca faço por menos”, gosto de ser, sempre, original!
No 1º dia tive sintomas tais como vertigens, em que tinha a impressão de que tudo girava à minha volta, se bem que ser o centro das atenções até que nem era má ideia! Esta sensação, de vertigem impediu-me me manter de pé e veio acompanhada de outros sintomas incómodos, tais como náuseas, vómitos, palidez e dores de cabeça. Parecia que estava embriagada (será que bebi e nem lembrava?!)
Senti-me de “cabeça a andar à roda” e nem era por um homem lindo :(



Mas nem tudo foram coisas más – eu tento sempre ver o lado positivo das coisas e, quiçá até o divertido.
Estive na “companhia” (ainda que virtual) de pessoas de quem gosto e que acredito gostem de mim! (se estiverem a mentir-me envio-lhes um vírus para o PC que nunca mais se conseguem "ligar").


Mas quando me faziam rir aí é que eram elas… Vinham logo as vertigens! Lol.
Como já me sinto a voltar ao normal, ainda que o meu normal seja, para muita gente, o anormal, na segunda-feira já volto para a “selva”! Vou puxar dos meus galões de chefe e…


Para quem estiver interessado, eu estou bem-disposta!
“Desnorteada” (mas isso é natural em mim!)

Também confirmei o que já desconfiava, há “amigos” tão egocêntricos que só se lembram de nós quando precisam! Mas como me disse alguém, um dia destes, “isso não é amizade, a amizade é pura, desinteressada de algo”! Sábias palavras my friend!

2008/12/01

Castigo ou Recompensa?


Tenho uma dúvida (se só fosse uma…)
Sempre me ensinaram que o “Anjo-da-Guarda” era para nos proteger, mas eu acho que o meu é mais assim tipo o Grilo Falante do Pinóquio!
Sempre que estou feliz da vida, com aquele risinho interior de “bem-feito” algo me corre, logo, mal a mim!
Eu estava tão contente, “ela” (a pessoa) tinha-se tramado a ela própria! Nem foi preciso fazer nada! A sua estupidez natural, a sua falta de neurónios, a sua falta de inteligência e de discernimento para perceber que tem falta disto tudo, fizeram-na cair no erro.
Ai como me soube bem aquele momento!
Só que durou pouco :(
Não o erro dela, mas a minha satisfação.
De tão feliz que ia nem me lembrei que a bela da calçada portuguesa, que por aqui impera, é muito linda mas traiçoeira! Com este tempo de chuva e folhas a cair ela (agora é a calçada) fica ainda mais escorregadia e eu claro está…

Escorreguei!
Mas pensando bem até que o “Anjo-da-Guarda” não é assim tão mau…
Escorreguei e na minha ânsia de não cair agarrei-me, sim com as duas mãos, à primeira “coisa” que encontrei à minha frente. Pois um “jeitoso”! Tão simpático que ele foi.
Quem me conhece já sabe que eu quando "vou a cair" escolho sempre um bom sítio…
Solita, lembras de Tenerife?
Porque contei isto? Porque me apetece!Mas pensando bem até que o “Anjo-da-Guarda” não é assim tão mau…
Escorreguei e na minha ânsia de não cair agarrei-me, sim com as duas mãos, à primeira “coisa” que encontrei à minha frente. Pois um “jeitoso”! Tão simpático que ele foi.

Quem me conhece já sabe que eu quando "vou a cair" escolho sempre um bom sítio…





Solita, lembras de Tenerife?
Porque contei isto? Porque me apetece!